Procon-SC orienta que ossos de boi sejam doados, e não vendidos: 'desumano'

De acordo com o diretor do Procon-SC, em um momento de alta na inflação, a cobrança por osso representou infração no Código de Defesa do Consumidor. "No momento de crise que estamos vivendo, é até desumano que (alguns) estabelecimentos estejam cobrando por ossos", afirmou Tiago Silva, diretor do Procon-SC

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O Procon de Santa Catarina emitiu na terça-feira (5) a recomendação para que mercados e açougues do estado não vendam ossos de boi e façam apenas doações do produto à população. O órgão disse que, de acordo com a imprensa catarinense, alguns açougues de Florianópolis, capital do estado, foram flagrados cobrando até R$ 4 por cada quilo de osso.

De acordo com o diretor do Procon-SC, Tiago Silva, em um momento de alta na inflação, a cobrança por osso representou infração no Código de Defesa do Consumidor. A cesta básica de Florianópolis aumentou 7% neste ano, chegando a R$ 659. "No momento de crise que estamos vivendo, é até desumano que (alguns) estabelecimentos estejam cobrando por ossos", afirmou.

A carne bovina está entre os itens com maior aumento de preço no ano na capital catarinense, com alta de 30,5% nos últimos 12 meses, conforme o Dieese-SC.

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email