Requião: enquanto mídia discute aluguel de Lula, Temer entrega 4 usinas

O senador Roberto Requião (PMDB) criticou o a mídia nesta quinta-feira, 28, por fechar os olhos diante do projeto de entreguismo de Michel Temer; "Enquanto Tvs discutem os recibos de aluguel de ap de Lula o governo dá de presente para multinacionais quatro usinas hidrelétricas em Minas", disse Requião em sua página no Twitter; o senador referiu ao leilão das hidrelétricas da Cemig, vendidas por R$ 12,1 bilhões

O senador Roberto Requião (PMDB) criticou o a mídia nesta quinta-feira, 28, por fechar os olhos diante do projeto de entreguismo de Michel Temer; "Enquanto Tvs discutem os recibos de aluguel de ap de Lula o governo dá de presente para multinacionais quatro usinas hidrelétricas em Minas", disse Requião em sua página no Twitter; o senador referiu ao leilão das hidrelétricas da Cemig, vendidas por R$ 12,1 bilhões
O senador Roberto Requião (PMDB) criticou o a mídia nesta quinta-feira, 28, por fechar os olhos diante do projeto de entreguismo de Michel Temer; "Enquanto Tvs discutem os recibos de aluguel de ap de Lula o governo dá de presente para multinacionais quatro usinas hidrelétricas em Minas", disse Requião em sua página no Twitter; o senador referiu ao leilão das hidrelétricas da Cemig, vendidas por R$ 12,1 bilhões (Foto: Aquiles Lins)

Paraná 247 - O senador Roberto Requião (PMDB) criticou o a mídia nesta quinta-feira, 28, por fechar os olhos diante do projeto de entreguismo de Michel Temer. 

"Enquanto Tvs discutem os recibos de aluguel de ap de Lula o governo dá de presente para multinacionais quatro usinas hidrelétricas em Minas", disse Requião em sua página no Twitter. 

O senador referiu ao leilão das hidrelétricas da Cemig, vendidas por R$ 12,1 bilhões. 

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o leilão:

Usinas hidrelétricas operadas pela Cemig são leiloadas por R$ 12,1 bilhões

O governo federal arrecadou R$ 12,1 bilhões com o leilão de quatro usinas hidrelétricas operadas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O leilão foi realizado hoje (27) na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), antiga BM&F Bovespa, centro da capital paulista.

O primeiro lote, da hidrelétrica de São Simão, em Goiás e Minas Gerais, foi arrematado pelo grupo chinês Spic Pacif Energy PTY, única proposta oferecida, por R$ 7,18 bilhões, ágio de 6,51%.

Venceu a disputa pelo segundo lote, referente à hidrelétrica Jaguara, em Minas Gerais e São Paulo, o Consórcio Engie Brasil Minas Geração, por R$ 2,17 bilhões, ágio de 13,59%.

O Consórcio Engie também arrematou o terceiro lote, da hidrelétrica de Miranda, Minas Gerais, por R$ 1,36 bilhão, ágio de 22,42%.

O último lote, de Volta Grande, em Minas Gerais e São Paulo, foi arrematado pela Enel Brasil S.A., com ágio de 9,84% e valor de R$ 1,4 bilhão. Todos os contratos têm prazo de 30 anos.

O montante arrecadado será usado pelo governo para tentar fechar as contas deste ano, com o déficit previsto de R$ 159 bilhões.

Os vencedores ofertaram o maior valor de notificação pela outorga, respeitado o valor mínimo para cada usina.

Protesto

Do lado de fora, movimentos sindicais protestavam contra o pregão. Durante o certame, alguns manifestantes conseguiram entrar na B3 e protestaram segurando cartazes contrários à privatização. Eles argumentam que o leilão entregará o patrimônio nacional para estrangeiros, o que implicará no aumento das contas de luz.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247