Requião: ‘quem mandou matar Marielle ordenou a execução de Adriano’

"Quem mandou matar Marielle seguramente ordenou a execução de Adriano. Isolado em uma moradia rural na Bahia, cercado por número razoável de policiais, não foi morto em confronto, seguramente foi executado", escreveu o ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) no Twitter

(Foto: Esq.: Ag. Senado / Dir.: Mídia Ninja)

247 - O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) apontou "queima de arquivo" na morte do miliciano Adriano Nóbrega da Silva. O parlamentar sugeriu que o ex-capitão do Bope, morto em troca de tiros com a polícia na Bahia, tinha informações importantes sobre o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL).

"Quem mandou matar Marielle seguramente ordenou a execução de Adriano. Isolado em uma moradia rural na Bahia, cercado por número razoável de policiais, não foi morto em confronto, seguramente foi executado", escreveu o ex-senador no Twitter.

Ligado ao clã Bolsonaro, o ex-policial integrava o Escritório do Crime grupo de matadores profissionais do Rio. Marielle foi alvejada em março de 2018 pelo crime organizado. Os atiradores efetuaram os disparos em um lugar sem câmeras e haviam perseguido o carro dela por cerca de três, quatroi quilômetros. 

Parentes do ex-capitão trabalharam no gabinete do atual senador FLávio Bolsonaro quando o parlamentar era deputado estadual. O congressista também fez homenagens ao miliciano, também classificado por Jair Bolsonaro como um "brilhante oficial". 

 

 

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247