Richa: "participar de ato anti-Dilma é revanchismo"

 O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse que não participará do ato programado para domingo (15) pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; segundo ele, impeachment é uma "medida extrema"; "Fui coordenador da campanha de Aécio Neves [à Presidência] e fomos derrotados. Qualquer participação domingo pode parecer revanchismo", afirmou

 O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse que não participará do ato programado para domingo (15) pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; segundo ele, impeachment é uma "medida extrema"; "Fui coordenador da campanha de Aécio Neves [à Presidência] e fomos derrotados. Qualquer participação domingo pode parecer revanchismo", afirmou
 O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse que não participará do ato programado para domingo (15) pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; segundo ele, impeachment é uma "medida extrema"; "Fui coordenador da campanha de Aécio Neves [à Presidência] e fomos derrotados. Qualquer participação domingo pode parecer revanchismo", afirmou (Foto: Valter Lima)

247 - O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse que não participará do ato programado para domingo (15) pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, impeachment é uma "medida extrema".

"Fui coordenador da campanha de Aécio Neves [à Presidência] e fomos derrotados. Qualquer participação domingo pode parecer revanchismo", afirmou o tucano.

Protestos anti-governo estão marcados para domingo, dia 15, em diversas cidades do país. Em São Paulo, haverá manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff e contra o aumento de impostos.

No Paraná, a gestão de Beto Richa também tem sido alvo de protestos, principalmente do funcionalismo público. Já houve na internet manifestações favoráveis ao impeachment do tucano.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247