Richa pegou dinheiro ‘a pretexto de campanhas eleitorais’, afirmam delatores

Em delação premiada, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Barbosa Silva Júnior, e o executivo Valter Luís Arruda Lana, relataram à Procuradoria-Geral da República que houve pagamento de propina ao governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), 'a pretexto de campanhas eleitorais'; de acordo com os delatores, os repasses teriam sido ‘operacionalizados por diversas pessoas’

Caldas Novas- GO- Brasil- 13/04/2015- O governador do Paraná, Beto Richa, durante visita do ministro da pesca e aquicultura, Helder barbalho. Foto: Orlando Kissner/ Fotos Públicas
Caldas Novas- GO- Brasil- 13/04/2015- O governador do Paraná, Beto Richa, durante visita do ministro da pesca e aquicultura, Helder barbalho. Foto: Orlando Kissner/ Fotos Públicas (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - Em delação premiada, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Barbosa Silva Júnior, e o executivo Valter Luís Arruda Lana, relataram à Procuradoria-Geral da República que houve pagamento de propina ao governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), 'a pretexto de campanhas eleitorais'. De acordo com os delatores, os repasses teriam sido ‘operacionalizados por diversas pessoas’.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, 'o reconhecimento da incompetência' da Corte máxima 'para a apuração dos fatos', porque os depoimentos não mencionam 'crimes praticados por autoridades detentoras de foro por prerrogativa de função' no Supremo. A informação é do blog do Fausto Macedo.

 Richa tem competência perante o Superior Tribunal de Justiça. Fachin determinou o levantamento do sigilo dos autos e mandou cópia dos depoimentos de Benedicto Barbosa Silva Júnior e Valter Luís Arruda Lana, e documentos apresentados, junto ao STJ.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247