Sem delação, homem da mala de Temer ficará vários anos preso em regime fechado

Intensão da defesa do ex-deputado Ricardo Rocha Loures (PMDB-PR) era não fazer delação e dizer que o crime nunca foi consumado, uma vez que não houve decisão do Cade favorável à JBS e os R$ 500 mil da mala foram devolvidos; ficou claro, no entanto, que o Ministério Público colocará vários crimes na denúncia e, neste caso, sem um acordo de delação para confessar o que sabe, o ex-deputado deve passar alguns anos preso em regime fechado

Rocha Loures
Rocha Loures (Foto: Gisele Federicce)

247 - A estratégia inicial da defesa do ex-deputado Ricardo Rocha Loures (PMDB-PR), o homem da mala de Temer, era não fazer acordo de delação premiada e dizer que o crime nunca foi consumado, uma vez que não houve decisão do Cade favorável à JBS e os R$ 500 mil da mala foram devolvidos.

Ficou claro, no entanto, que o Ministério Público colocará vários crimes na denúncia e, neste caso, sem um acordo de delação para confessar o que sabe, o ex-deputado deve passar alguns anos preso em regime fechado, informa nota da coluna Drive, do portal Poder360.

Segundo o site, a estratégia jurídica de Loures foi imposta pelo pai do peemedebista, o empresário Rodrigo Costa da Rocha Loures (dono da Nutrimental, que fabrica as barras de cereais Nutry), mas que diante do novo cenário, ele já teria começado a se arrepender.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247