Sítio de Atibaia: TRF-4 nega anulação de delações da Odebrecht

No pedido de anulação, a defesa do ex-presidente Lula argumentou que os 77 delatores passaram a receber salários da empresa depois de terem aderido à tese da Lava Jato e se tornado delatores no processo. Recurso foi negado por unanimidade pelos desembargadores

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4) negou nesta quarta-feira (22) um pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Lula para que delações da Odebrecht no caso do sítio de Atibaia fossem anuladas. Os desembargadores rejeitaram o recurso por unanimidade, em sessão que durou oito minutos nesta tarde.

No pedido, o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, argumentou que a empresa paga salários aos 77 delatores ligados ao grupo, e que uma planilha da empreiteira prova que os delatores passaram a receber o dinheiro depois que aderiram às narrativas defendidas pela força-tarefa da Lava Jato, informa a jornalista Bela Megale, do Globo.

Zanin chegou a apresentar uma questão de ordem solicitando que o julgamento de hoje fosse suspenso até que o mandado de segurança sobre a atuação do FBI junto aos procuradores da Lava Jato fosse julgado, mas o pedido também foi rejeitado pelo TRF-4. O advogado do ex-presidente pretende recorrer da decisão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247