TCU julga farra das diárias da Lava Jato e pode tornar Dallagnol inelegível

Ministério Público junto ao TCU diz que procuradores da força-tarefa poderiam ter usado opções mais econômicas de diárias e passagens. Prejuízo ao erário foi de R$ 2,7 milhões

www.brasil247.com - O ex-procurador da República Deltan Dallagnol.
O ex-procurador da República Deltan Dallagnol. (Foto: Vladimir Platonow/ Agência Brasil)


247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) julga nesta terça-feira (9) a farra das diárias da Lava Jato: irregularidades no pagamento de diárias a procuradores da Lava Jato que teriam causado um prejuízo de R$ 2,7 milhões aos cofres públicos. Além do ex-procurador Deltan Dallagnol (Podemos), o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot também é apontado como responsável.

A sessão está marcada para 10h30 e tem como relator o ministro Bruno Dantas.

Segundo o Ministério Público junto ao TCU, procuradores da força-tarefa poderiam ter usado opções mais econômicas de diárias e passagens. Em vez de serem transferidos para Curitiba, os procuradores recebiam ajuda financeira para trabalhar na capital, como se estivessem em uma situação transitória.

Segundo Bruno Dantas, ficaram configuradas as seguintes irregularidades: 1) falta de fundamentação adequada para a escolha desse modelo, visto que alternativas igualmente válidas não foram devidamente consideradas; 2) violação ao princípio da economicidade, porquanto o modelo escolhido mostrou-se mais dispendioso aos cofres públicos; 3) ofensas ao princípio da impessoalidade, tanto na opção pelo modelo mais benéfico e rentável aos participantes quanto na falta de critérios técnicos que justificassem a escolha de quais procuradores integrariam a operação.

Em mensagem publicada no Twitter, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) lembrou que, se condenado, Dallagnol pode ficar inelegível.

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email