Doenças cardiovasculares são fatores de risco para demência

Problemas de saúde relacionados ao coração, sedentarismo e tabagismo podem afetar a capacidade do cérebro de absorver glicose

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tiago Varella, da Agência Einstein - De acordo com estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), 50 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com algum tipo de demência. Para reduzir a probabilidade de desenvolver quadros demenciais, mesmo quando há uma tendência genética, é fundamental manter um estilo de vida saudável. Alguns sinais metabólicos precoces de demência estão relacionados a fatores de risco de doenças cardiovasculares, como mostra um estudo espanhol publicado no Journal of the American College of Cardiology, com a autora principal Marta Cortes-Canteli, do Centro Nacional de Investigações Cardiovasculares (Espanha). 

A pesquisa avaliou 547 participantes de 40 a 54 anos, sendo 82% deles homens, do Projeto PESA (Progression of Early Subclinical Atherosclerosis). Os voluntários apresentaram evidência de aterosclerose assintomática, com acúmulo de placas de gordura e cálcio nas artérias carótidas e femorais. Após ultrassom vascular tridimensional, foi observado um metabolismo de glicose deficiente, sobretudo nas áreas do cérebro associadas à demência, englobando o Alzheimer. Isso revela, portanto, um indício de neurodegeneração precoce.  

Segundo os autores do estudo, “o hipometabolismo nessas regiões cerebrais em indivíduos de meia-idade pode ser interpretado como um marcador de maior vulnerabilidade ao declínio cognitivo futuro”. Os pesquisadores complementam que essas áreas do cérebro estão diretamente ligadas à memória espacial e semântica, linguagem e processamento visual, além de aprendizagem e recuperação da memória. 

Os resultados apontam que a interação entre os fatores de risco de doenças cardiovasculares, aterosclerose e metabolismo cerebral alterado começa cedo e, por isso, há a necessidade da prevenção dessas enfermidades cardiovasculares primárias no início da meia-idade para reduzir o risco de desenvolver demência no futuro. 

Os fatores de risco para aterosclerose e demência incluem hipertensão, diabetes, altos níveis de colesterol, estilo de vida sedentário e tabagismo. Os cérebros de idosos com alguns desses indicadores apresentam menor capacidade de absorção de glicose. Devido ao tamanho da amostra, mais estudos nesta área do conhecimento devem complementar estes achados.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email