'Fumar cotonete': entenda o extremo risco da nova moda entre adolescentes nas redes sociais

Uma nova moda entre as crianças e adolescentes nas redes sociais está preocupando pais e acendendo o alerta em médicos e especialistas

www.brasil247.com -


247 - Uma nova moda entre as crianças e adolescentes nas redes sociais está preocupando pais e acendendo o alerta em médicos e especialistas. Em vídeos curtos, eles fumam cotonetes. Isso mesmo, queimam o algodão, o plástico e aspiram a fumaça tóxica que surge da junção dos dois. Na prática, o item tem o propósito de remover cera dos ouvidos, limpeza mais externa das orelhas e aplicações específicas, como, mais recentemente, exames de Covid-19. As informações são do portal Extra.

Especialistas em saúde são enfáticos ao dizer que isso não pode ser feito, visto que pode desencadear doenças graves respiratórias como bronquite, asma, ou formais mais graves como a bissinose, doença ocupacional de trabalhadores da indústria do algodão.

Quando submetidas à queima, as hastes plásticas e o algodão geram substâncias tóxicas em forma de fumaça. De modo geral, inalar qualquer tipo de fumaça resultante de queima de algum material tem riscos potenciais. Mas o plástico e o algodão causam problemas bem específicos.

A bissinose é gerada a partir da inalação forçada do linho, cânhamo e o algodão. A doença estreita as vias respiratórias e leva a uma respiração ruidosa (com chiado) e sensação de pressão no tórax, e consequentemente, com o tempo reduz a função do pulmão até o órgão parar de funcionar.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247