Gravidez, amamentação e o novo coronavírus

Conheça as respostas para as principais dúvidas dos pais a respeito da Covid-19. Novo estudo diz que transmissão intrauterina não pode ser descartada, mas que o prognóstico é bom para mulheres grávidas e recém-nascidos"

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Cristiane Bomfim, da Agência Einstein - De acordo com o que se sabe até agora, a Covid-19 atinge principalmente adultos e os sintomas podem ser mais graves em pessoas que fazem parte dos grupos de risco, como idosos e pessoas imunodeprimidas por exemplo. Mesmo assim, a velocidade com que doença causada pelo novo coronavírus tem se espalhado e as recentes notícias sobre a morte de bebês no Brasil pela doença é motivo de preocupação de grávidas e mães de bebês pequenos. Os questionamentos vão desde a possibilidade de ocorrência de transmissão mãe-filho durante a gestação até os cuidados com a criança no dia a dia e as dúvidas sobre a possibilidade de o vírus ser transmitido por meio do leite materno. “São preocupações válidas. Afinal é uma doença nova, que está se espalhando rápido e levando pessoas à morte” explica o pediatra Victor Nudelman, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Ainda são poucos os casos estudados de mães que tiveram bebê enquanto estavam doentes. Porém, não há registros de casos graves de casos neonatais graves por coronavírus. Um dos trabalhos mais recentes, realizado por pesquisadores da Universidade de Wuhan, na China, o berço do novo coronavírus, e publicado no Eurpean Respiratory Journal, no último dia 8 de abril, identificou quatro recém-nascidos com a Covid-19. Todos nasceram de mães com COVID-19 e tiveram parto cesáreo. Três foram separadas de suas mães ao nascer. Nenhum dos bebês desenvolveu sintomas graves ou necessitou de cuidados intensivos ou ventilação mecânica.

Outro estudo, também realizado por pesquisadores chineses e publicado no mês passado na revista científica Frontiers in Pediatrics. acompanhou quatro gestantes que deram à luz quando estavam infectadas. De acordo com os cientistas, nenhum recém-nascido apresentou sintomas da doença como febre e tosse seca. Três dos quatro bebês fizeram teste para identificação do vírus e o resultado foi negativo. Uma das mães não autorizou a realização do exame.

Para esclarecer as principais dúvidas das gestantes e mamães de bebês pequenos, tanto a OMS quanto o CDC, sigla em inglês para Centers for Disease Control and Prevention, elaboraram materiais extensos com informações sobre o assunto. A lista abaixo contém as repostas para as perguntas mais frequentes:

Mulheres grávidas têm mais riscos de Covid-19?

Embora estejam sendo realizadas pesquisas para entender os impactos da infecção por Covid-19 em gestantes, atualmente não há evidências de que elas estejam em maior risco de doença grave do que a população em geral. É importante lembrar que devido a alterações fisiológicas próprias do período, grávidas podem ser mais afetadas por algumas infecções respiratórias. Portanto, é importante tomar precauções para reduzir as chances de contrair o vírus.

Como as grávidas podem se proteger contra a Covid-19?

As precauções são as mesmas que as outras pessoas devem tomar: lavar as mãos com frequência com água e sabão, limpar as mãos com álcool em gel sempre que tiver contato com superfícies que possam estar contaminadas e não existir a possibilidade de lavá-las, manter espaço de 2 metros com o interlocutor, evitar espaços lotados, evitar tocar nos olhos, nariz e boca. Também é importante praticar a etiqueta respiratória, ou seja: cobrir a boca e o nariz com o cotovelo ou o lenço descartável dobrado quando tossir ou espirrar. Em caso de febre, tosse ou dificuldade em respirar, procurar atendimento médico cedo. Ligue antes de ir a uma unidade de saúde e siga as instruções da sua autoridade de saúde local. Manter a rotina de consultas periódicas de pré-natal ou de acompanhamento do recém-nascido.

O novo coronavírus pode ser transmitido da mãe para o feto ou para o recém-nascido por meio do leite materno?

Um estudo mais recente, publicado realizado por pesquisadores da Universidade de Wuhan, na China, e publicado no Eurpean Respiratory Journal, no último dia 8, identificou quatro recém-nascidos com a Covid-19. Todos nasceram de mães com COVID-19 e tiveram parto cesáreo. Três foram separadas de suas mães ao nascer. Nenhum dos bebês desenvolveu sintomas graves ou necessitou de cuidados intensivos ou ventilação mecânica. Sendo assim, pesquisadores afirmam que a transmissão intrauterina não pode ser descartada, mas que o prognóstico é bom tanto para mulheres grávidas quanto para recém-nascidos.

Mulheres com COVID-19 podem amamentar?

Sim. Até o momento o vírus não foi encontrado em amostras do leite materno. “Além disso, pelo leite materno, os anticorpos protetores são passados para o bebê. Por isso é importante continuar amamentando”, explica o pediatra Nudelman. Antes da amamentação, a mãe deve tomar os seguintes cuidados: lavar as mãos antes e depois de tocar no bebê, limpar e desinfetar as superfícies que ele toca e usar máscara durante o aleitamento.

Como proceder se for solicitado o isolamento durante a gravidez?

As grávidas que foram aconselhadas à quarentena devem ficar em casa e evitar o contato com outras pessoas pelo tempo recomendado. É importante avisar o médico que acompanha os exames pré-natal para que as consultas sejam remarcadas ou realizadas à distância e, qualquer dúvida ou preocupação deve ser informada ao médico.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247