Ministra da Saúde acusa governo Bolsonaro de omissão e diz que garimpo ilegal é a principal causa do genocídio yanomami

Após o Ministério da Saúde decretar situação de emergência em saúde por conta da morte de crianças yanomami por desnutrição, Nísia Trindade afirmou que Bolsonaro foi "omisso"

www.brasil247.com - Ministra da Saúde, Nísia Trindade, Jair Bolsonaro e yanomami
Ministra da Saúde, Nísia Trindade, Jair Bolsonaro e yanomami (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil | REUTERS/Ueslei Marcelino | Condisi-YY/Divulgação)


BBC Brasil - "Houve omissão em relação aos yanomami e outros povos", disse a ministra durante breve entrevista à BBC News Brasil, em Buenos Aires, capital da Argentina. Trindade acompanha a comitiva do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está no país para uma visita ao presidente argentino, Alberto Fernández, e para participar de VII Cúpula dos Chefes de Estado da Comunidade Estados Latinoamericanos e Caribenhos (Celac).

Na entrevista, Trindade disse que os yanomamis estão em situação de desassistência e que o garimpo ilegal de ouro na região é a principal causa da crise de saúde que afeta a etnia que, no Brasil, vive entre os estados do Amazonas e de Roraima.

Assim como Lula, Nísia Trindade também classificou a situação dos yanomami como um tipo de genocídio. O termo foi usado por Lula ao se referir ao caso no final de semana.

Leia a íntegra na BBC Brasil.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247