Um em cada três latino-americanos já corre o risco de contrair a Covid-19

Região supera 4 milhões de casos e o descontrole é puxado pelo Brasil, que tem mais da metade desses números

Pessoas com máscaras de proteção facial caminham em rua de comércio popular em São Paulo
Pessoas com máscaras de proteção facial caminham em rua de comércio popular em São Paulo (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Os casos de coronavírus na América Latina superaram nesta quarta-feira a marca de 4 milhões, mostrou uma contagem da Reuters, no momento em que o ritmo de contágio se acelera e a maioria dos países da região relaxa as medidas de isolamento voltadas a conter o avanço da doença.

Na última semana, a região reportou 65 mil casos por dia em média, sendo cerca da metade deles no Brasil, embora México, Argentina e Colômbia também tenham verificado aumentos significativos nos contágios.

O último milhão de casos demorou apenas 15 dias para ser alcançado, frente aos 17 dias do milhão anterior, aos 21 dias do segundo milhão e aos 96 dias do primeiro.

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), alertou na terça-feira que a pandemia não mostra “sinais de desaceleração” no continente e que, devido à carga de doenças infecciosas e às condições crônicas, uma em cada três pessoas na América Latina tem o risco de ser acometida pela Covid-19.

O continente americano como um todo —que inclui os Estados Unidos, o país mais afetado pela pandemia— reportou mais de metade das infecções e mortes pela doença no mundo.

Brasil, Peru, México, Chile, Colômbia e Argentina estão entre os 20 país com maior número de casos do vírus.

Nos 148 dias desde que registrou o primeiro caso, a América Latina confirmou 4.023.658 infecções e 168.644 mortes, mais de um quarto do total mundial, segundo contagem da Reuters baseada em números oficiais.

De acordo com especialistas em saúde, é muito provável que os números de casos e mortes estejam subnotificados, devido à capacidade limitada de testes em alguns países.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247