Por Juca Simonard

O que é a Otan e o que ela tem a ver com a guerra?

A Otan — Organização do Tratado do Atlântico Norte — é uma aliança militar liderada pelos Estados Unidos e criada em 1949, com o início da chamada Guerra Fria

Entre os membros fundadores estão: EUA, Bélgica, Canadá, Dinamarca, França, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Reino Unido

Seu principal objetivo foi formar um pacto bélico entre as potências ocidentais para se contrapor à União Soviética, iniciando um processo de desenvolvimento nuclear e militar de seus países membros

Alguns anos após a II Guerra Mundial, a Otan abrigou nazistas que haviam lutado contra os soviéticos. Entre 1961 e 1964, seu presidente do comitê militar foi Adolf Heusinger, general de Adolf Hitler

Apesar da relativa estabilidade entre os membros da Otan e da URSS, a situação para os soviéticos era uma ameaça

Diversas guerras por procuração foram realizadas entre os norte-americanos e os soviéticos após a II Guerra, a mais famosa no Afeganistão, a partir de 1979

Após a crise que levou ao
fim da URSS, em 1991, e o desmantelamento dos Estados operários do leste europeu, representado pela queda do muro de Berlim, a política
da Otan mudou

De ameaças através da corrida armamentista, a política da Otan passou a ser mais ofensiva, atuando em guerras diretamente com tropas, como na na Iugoslávia, através de bombardeios inéditos da entidade

Com a política ofensiva, de participação direta em guerras, a Otan atuou em interesse dos EUA para derrubar regimes e iniciar guerras, como na Líbia de Muammar Gaddafi e no Afeganistão

Na Europa, a política era enfraquecer países considerados grandes nações, atuando para destruir as unidades nacionais. Ao mesmo tempo, expandindo a organização para o leste e militarizando a região

A partir de 1997, 14 países do leste europeu foram incluídos na organização, dentre eles, três países que fazem fronteira com a Rússia: Estônia, Letônia e Lituânia

Em 2014, a Otan promoveu um golpe de Estado na Ucrânia que derrubou o governo de Viktor Yanukovich, aliado da Rússia, e patrocinou nazistas para perseguir a população russa no país

Naturalmente, a Rússia viu a expansão da Otan e de suas bases militares no leste europeu como uma ameaça à segurança nacional, temendo uma ofensiva como ocorreu na Iugoslávia

A atual etapa da crise entre Rússia e o governo de Kiev iniciou quando a Ucrânia, porta de entrada para a Rússia pelo ocidente, cogitou entrar na Otan

Ao mesmo tempo, nos últimos anos, bilhões de dólares em armas foram enviados pelo Ocidente para militarizar a Ucrânia. Os russos reagiram colocando tropas na fronteira no final de 2021

No início de 2022, Kiev passou a aumentar sua ofensiva contra as repúblicas do Donbass, na fronteira com a Rússia, desagradando o governo Vladimir Putin

Vendo a situação como uma ameaça à segurança nacional, os russos iniciaram em 24 de fevereiro uma operação militar especial na Ucrânia, invadindo o território e destruindo sua infraestrutura militar