América latina

Presidente da Guiana diz esperar que o Brasil 'tenha papel de liderança' para contornar crise com a Venezuela

"Temos confiança de que o Brasil vai agir numa maneira responsável, numa maneira que seja condizente de um país que mostra maturidade e liderança", disse Irfaan Ali

Irfaan Ali, Nicolás Maduro e Lula
Irfaan Ali, Nicolás Maduro e Lula (Foto: REUTERS/Sarah Silbiger | REUTERS/Leonardo Fernandez Viloria | REUTERS/Ueslei Marcelino)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O presidente da Guiana, Irfaan Ali, afirmou que  o Brasil é reconhecido como "um campeão de estabilidade" na América do Sul e disse esperar que o país assuma uma posição de liderança diante da recente tensão gerada pelo referendo venezuelano sobre a anexação do território de Essequibo, rico em petróleo e minérios, que pertence à Guiana.

“Esperamos que o Brasil tenha um papel de liderança, um papel significativo em garantir que essa região se mantenha. O que a Guiana quer, a única ambição da Guiana, é que essa região se mantenha uma região de paz e estabilidade, onde todos nós possamos coexistir em harmonia", disse Ali à jornalista Julia Duailibi. >>> Em recado à Venezuela, Celso Amorim diz que Brasil se opõe "ao uso da força ou da ameaça" contra Guiana

continua após o anúncio

Ainda segundo o presidente guianense, a resposta do governo brasileiro ao aumento da tensão na fronteira , tem sido “muito madura". “Antes do referendo eu tive uma ligação com o Presidente Lula. O presidente Lula e o governo brasileiro mandaram uma equipe de enviados para a Venezuela para conversar com o presidente Maduro. Nós vemos o governo brasileiro tomando medidas para garantir seu território” afirmou Ali. A declaração faz referência ao fato do Brasil ter enviado veículos blindados e aumentado  o efetivo militar na fronteira. >>> Lula convoca reunião de emergência com Mauro Vieira e Celso Amorim para discutir tensão entre Venezuela e Guiana

Sobre as relações do Brasil com a Venezuela, ele disse que “o Brasil tem uma boa relação conosco também e nós esperamos que a Venezuela aja com princípio. Nós conversamos com o presidente Lula e com o ministro do exterior (Mauro Vieira) e os dois garantiram que a Venezuela estará do lado certo da lei ... Então, nós temos confiança de que o Brasil vai agir numa maneira responsável, numa maneira que seja condizente de um país que mostra maturidade e liderança”. >>> "Nossas fronteiras estão garantidíssimas", diz Múcio diante da tensão entre Venezuela e Guiana

continua após o anúncio

Questionado sobre a possibilidade de uma invasão militar venezuelana, Ali enfatizou a imprevisibilidade do país vizinho e ressaltou a necessidade de precaução e preparação para eventualidades. 

A Corte Internacional de Justiça (CIJ), cuja jurisdição no caso a Venezuela não reconhece, ordenou na sexta-feira passada ao governo venezuelano "abster-se de qualquer ação que modifique a situação atualmente vigente" no Esequibo e a ambas as partes "abster-se de qualquer ação que possa agravar ou estender a disputa".

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247