Barroso em sua sabatina no Senado: jurisprudência do STF diz que Tratados estão acima da lei

A socióloga Thais Moya, colunista do 247, apresenta um vídeo de alto impacto em sua série sobre os ministros do STF (e Raquel Dodge, da PGR) e a questão dos tratados internacionais de direitos humanos; o atual ministro Barroso, relator do caso de Lula no TSE, foi incisivo em sua sabatina no Senado, em 2013: o Supremo já criou uma jurisprudência segundo a qual os tratados estão acima da lei ordinária -e, portanto, da Lei da Ficha Limpa; assista

Barroso em sua sabatina no Senado: jurisprudência do STF diz que Tratados estão acima da lei
Barroso em sua sabatina no Senado: jurisprudência do STF diz que Tratados estão acima da lei

Durante sua sabatina no Senado, em 5 de junho 2013, após ser indicado para o STF pela presidente Dilma, o agora ministro Luís Roberto Barroso foi questionado sobre o caráter dos tratados internacionais que versam sobre direitos humanos e se estes podem se sobrepor a decisões tomadas internamente.

Barroso foi taxativo: tratados estão acima das leis brasileiras ordinárias. O que ele disse:

O estágio atual da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, com alguns votos vencidos, é a de que os tratados internacionais, que na jurisprudência tinham o mesmo status de lei ordinária, numa decisão recente, recente de talvez dois anos, é a de que os tratados internacionais têm um nível supralegal, estão acima da lei porém abaixo da Constituição, de modo que este é o estado da arte vigente.

Concluímos, então, que a liminar da ONU, que requer a garantia da candidatura equânime de Lula, está acima da Lei da Ficha Limpa e, portanto, deve ser cumprida.

A cada hora que passa, o Brasil incorre em desobediência do seu próprio ordenamento jurídico perante o mundo. Um escárnio vergonhoso.

Veja o vídeo:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247