Ministro do STF terrivelmente evangélico

Enfim Jair Bolsonaro cumpriu mais uma promessa

www.brasil247.com - Presidente da República Jair Bolsonaro, assina Decreto de Nomeação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal. 02/12/2021
Presidente da República Jair Bolsonaro, assina Decreto de Nomeação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal. 02/12/2021 (Foto: Alan Santos/PR)


Enfim Jair Bolsonaro cumpriu mais uma promessa, a feita aos chamados evangélicos, seus apoiadores e fundamentalistas, a de indicar um dos seus como ministro do STF.

O escolhido da vez foi o “calvinista” e pastor André Mendonça, que ingere e se alimenta  do clima golpista no Planalto desde o início da era fake news da fase mais decadente e baixa da política nacional, sempre ao redor  do “mito” mentira e interessado na indicação feita pela “noivinha do Aristides”.

As perguntas são pelo que é terrivelmente evangélico e a que tipo de evangélicos a sua excrescência prometeu indicar, loteando o Supremo a favor dos interesses dele, de sua famiglia e do que há de pior na anuviada e apodrecida burguesia brasileira?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora é empurrado ao STF um “terrivelmente evangélico” da mesma forma que já foi um terrivelmente ruralista, defensor da concentração de terras e um dos latifundiários do Brasil. Para lá também foi indicado um terrivelmente defensor dos interesses da Rede Globo, como foram os da ditadura e até do PCC. Gente que mataria o mensalão do PT no peito foi indicada como forma da barrar e pavimentação do uso da justiça para dar golpes de Estado, mas que se tornou terrivelmente “vacilão” e até apoiador da novinha de Aristides.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o que é terrivelmente para os dicionários e moralmente? O advérbio não deixa dúvidas. Significa: “de modo terrível; capaz de causar terror; assustadoramente: bandido terrivelmente perigoso… temporal terrivelmente devastador.” Os sinônimos parecem corroborar com a situação da indicação do pastor André Mendonça ao STF: “horrivelmente, temerosamente, pavorosamente”.

Jair Bolsonaro certamente nunca viu um dicionário na vida, mas pelos compromissos que tem com a direita, com o mercado e com fascismo apontou um dos dedos  indicadores para a pessoa que síntesa simbolicamente a desgraça que é o seu governo para o Brasil e para o povo: horrível, temeroso e pavoroso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Só pelo fato de ser indicado e contar com a simpatia da noivinha de Aristides e de sua famiglia, André Mendonça se torna ou, de fato, é essa coisa terrível que integrará a Corte Suprema no caminho da injustiça, do terror, do conservadorismo preconceituoso e do ódio.

André Mendonça certamente leu alguma vez  este trecho do Evangelho de Mateus sobre o reconhecimento dos falsos profetas,  que são como frutos de árvores más. “16 Pelos seus frutos os conhecereis. É possível alguém colher uvas de um espinheiro ou figos das ervas daninhas? 17 Assim sendo, toda árvore boa produz bons frutos, mas a árvore ruim dá frutos ruins.” (Mt 7, 15 – 17).

O fruto “terrivelmente evangélico” que chega ao STF nasce da árvore da mentira, que todos os dias mente ao povo brasileiro e ao mundo. Mente sobre a economia, falseia  a ciência, distorce o significado das vacinas. A eleição da árvore má é pura farsa, até faca sem sangue com o esfaqueador escondido e sem contato com a mídia. Mente sobre a agenda do Palácio do Planalto e com quem fala, recebendo nazistas e milicianos na sede do governo roubado do povo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mendonça é fruto amargo e indigesto do genocídio, da morte de milhões de trabalhadores, da promoção da fome, da miséria e do desemprego.

A que evangélicos André Mendonça representa?  Escrevi sobre isso ao me referir às várias correntes ditas cristãs, inclusive a mais terrível farisaica, dos que que distorcem os fatos, a fé e a vida. Estas se definem conservadoras e são reconhecidas como fundamentalistas, que leem a Bíblia descontextualizadamente da história, da geografia, da cultura linguística, dos pesos econômico e político como fatores determinantes dos fatos, rebaixando-se racional e intelectualmente à condição de gado. Assim, “tropeadas, essas pessoas “louvam” em grandes alaridos em seus templos ou botequins alugados nos centros  e periferias das cidades e, ao mesmo tempo, somam-se à base necrófila de apoio ao fascismo, ao crime e ao genocídio, representados por Jair Bolsonaro e seu governo subserviente aos macros interesses do capitalismo imperial, que nos tempos de Jesus seria o império romano” (Cartas Proféticas).

Essas “terrivelmente evangélicas” atuam no Congresso Nacional e muitas são compradas por muito dinheiro do alardeado e não investigado Orçamento Secreto e as Verbas Parlamentares, soltas aos borbotões pelo governo de sua excrescência miliciana genocida.

Os tais evangélicos dos quais André Mendonça é terrivelmente representante são pastores e “bispos” empresários poderosos do mercado religioso, que enriquece a poucos no abuso da fé pública e na exploração de um povo pobre, doente,  temeroso de contaminação e de morrer sem oxigênio e sem vacinas.

Sem falarmos que os donos de igrejas contrataram aviões para transportar senadores para votarem na aprovação do “terrivelmente evangélico” como ministro tingido de corrupção e da maldade para o STF.

Esses evangélicos integram as bancadas no Congresso,  vinculadas ao esporte, à mídia, à bala, à bíblia, ao boi, aos bancos e tudo que compra a altos preços os votos e as “convicções” dos fariseus.

São eles os tais da “marcha com Jesus”, que recebem o genocida em seus palanques fazendo arminhas, a marca registrada do milicianismo fascista.

Os terrivelmente evangélicos se agem como água contaminada e apodrecida na movimentação de golpes de Estado e das desgraças contra o povo brasileiro.

Tem razão o jornalista Florestan Fernandes Jr ao afirmar em sua conta no Twitter que “ao emplacar André Mendonça no STF, Bolsonaro deu um passo largo em seu projeto de destruir o STF. E para isso nem precisou de um cabo e um soldado. Apenas de bilhões do dinheiro público, distribuídos aos parlamentares através das emendas do orçamento secreto” (Brasil 247).

Os evangélicos, de onde procede André Mendonça, fazem parte desse mundo de destruição e de roubo do dinheiro público. Eles odeiam o Estado como indutor de desenvolvimento nacional e como força para a regulação da justiça econômica e social, mas amam se dependurarem em cargos públicos, de preferência os mais remunerados e acessíveis aos roubos.

Ao olharmos daqui para lá, do lado oposto à barbárie do atual governo federal, percebemos o quanto é terrível, violento, imoral, desprezível e injusto é este mundo evangélico dos Silas Malafaia, Edir Macedo, RR Soares, Valdomiro Santiago e todo o bando fake news e a casta neoliberal, fundamentalista e mercantil representado pelo novo ministro do STF.

Terrivelmente Evangélico. Totalmente terrível!

Abraços proféticos e revolucionários,

Dom Orvandil.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email