O circo dos horrores do bolsonarismo

É o Neoliberalismo que está por detrás deste projeto Neo Nazifascista, o qual está em voga aqui no Brasil para o profundo azar do povo brasileiro



Alguns se deixam ludibriar pelo projeto ideológico do Bolsonarismo, mas a sua base, o que realmente o sustenta não é este projeto e sim um poderoso projeto econômico. É o Neoliberalismo que está por detrás deste projeto Neo Nazifascista, o qual está em voga aqui no Brasil para o profundo azar do povo brasileiro.

Como bem já disse o analista político Breno Altman, o Neofascismo e o Neoliberalismo andam juntos nos dias atuais. São unha e carne. Não funcionam separados, estão sempre um apoiando o outro. No caso do Brasil, ao que parece, é mais adequado chamarmos de Neo Nazifascismo, pois vemos o atual governo vez outra flertando com o Fascismo, vide os macabros passeios de motocicleta que foram feitos no Rio de Janeiro e em São Paulo, lembrando o passeio de motocicleta feito por Mussolini  com seus apoiadores, e outras vezes flerta com o Nazismo, como foi visto por exemplo na citação feita em uma mensagem publicada pela SECOM (Secretaria Especial de Comunicação Social): “O trabalho, a união e a verdade libertarão o Brasil”; o qual se assemelha ao slogan nazista escrito em vários campos de concentração – incluindo Auschwitz I (“O trabalho liberta”, “Arbeit macht frei” em alemão).

Mas toda esta ideologia que vem aterrorizando a população brasileira, com todo o retrocesso cultural e social ao qual está a submetendo, vem acompanhado de um choque Neoliberal, o qual tardiamente está sendo feito no país. O fim do estado está dia a dia sendo colocado em pauta e em prática pelo governo de Bolsonaro. Ou deveríamos chamar de “desgoverno”? Seja lá como formos chamá-lo, é claro e evidente que Bolsonaro está entregando exatamente aquilo para o qual foi contratado. Está entregando todas as riquezas naturais do Brasil e de forma ampla podemos dizer que está destruindo a soberania do país como um todo. Mas este plano já vem de muito tempo. E agora finalmente o intento do Poder Econômico da Classe Opressora que esmaga os trabalhadores está sendo executado amplamente, de forma cruel e muito rápida.

Com certeza lembramos da “Petrobrax”, uma tentativa de privatização da Petrobras que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez, mas não conseguiu realizar em seus dois mandatos presidenciais. Mas Bolsonaro ao contrário está tendo sucesso neste intento, pois já entregou para a iniciativa privada o Pré-Sal, a BR Distribuidora, vendeu a refinaria Landulpho Alves da Bahia e pretende vender muitas outras refinarias da Petrobras. E dessa forma o projeto de destruição da Petrobras está sendo colocado em prática a todo vapor pelo “desgoverno” ao qual estamos submetidos.

E este plano de destruição da soberania não para aí, pois mais privatizações estão em andamento. Correios, Caixa Econômica Federal e Eletrobras são algumas das metas de privatização do “desgoverno”. Mais uma vez lembremos que tudo isso começou bastante tempo atrás com o chamado “príncipe” da Sociologia, o qual em seus dois mandatos de governo realizou várias privatizações, como por exemplo a privatização do Sistema TELEBRAS. E agora como podemos constatar nos dias atuais, a espoliação do país está seguindo de forma acelerada.

Com o governo golpista de Temer, o povo brasileiro perdeu seus direitos trabalhistas e o choque Neoliberal aprofundou estas perdas ainda mais, pois é assim que funciona o Neoliberalismo. Não basta espoliar o país, tem também que retirar os direitos dos trabalhadores e financeirizar toda a economia. E assim foi feita a Reforma de Previdência que fez com que os brasileiros tenham um futuro totalmente incerto em sua velhice, pois a aposentadoria se tornou uma meta praticamente inatingível para a população. Já a financeirização da economia tornou improdutivo o capitalismo brasileiro, pois o que o que conta agora é a especulação na bolsa de valores e não o investimento em produção. Isso sem falar na ruralização do país, o Brasil está se tornando um local onde o foco é o agronegócio e o extrativismo, onde o que importa é a venda de commodities. A indústria nacional está dando os seus últimos suspiros. Voltamos a ser um país exportador de matéria prima e importador de bens industrializados. Ou seja, hoje vendemos o milho a baixo preço e importamos a pipoca a alto custo. Um péssimo negócio.

Neste momento em que as empresas do país estão sendo entregues ao capital internacional, vemos vários políticos e comunicadores – também chamados de Youtubers – denunciando este roubo que está sendo feito no patrimônio nacional. Leonardo Stoppa é um destes comunicadores que elevou sua voz para falar contra todo este absurdo, inclusive está escrevendo um livro sobre a importância da Eletrobras. E o que aconteceu com ele? Recebeu um “strike” do YouTube e ficou sob a ameaça de perder o seu canal. Percebem como este jogo é pesado e sujo? Mas isso não pára por aí, pois estamos vendo muitos outros absurdos acontecendo como por exemplo a prisão do militante Rodrigo Pilha, o ataque feito a Vereadora Liana Cirne em Recife, a prisão do militante André Constantine no Rio de Janeiro e a prisão do vereador Renato Freitas em Curitiba. É esta a opressão que os opositores a este “desgoverno” estão infelizmente enfrentando.

Vemos também que o poder econômico, o qual está por trás de toda esta loucura, protege seus agentes claramente. Não é coincidência que muitos destes agentes moram ou se refugiam nos EUA. É o caso de Olavo de Carvalho, o “guru” desta seita macabra, o qual a vários anos mora em Richmond, Virgínia, de Abraham Weintraub, ex-Ministro da Educação que foi premiado com um cargo de diretor executivo no Banco Mundial após ser exonerado do cargo de ministro e do ex-youtuber Alan dos Santos. Isso sem falar em Sergio Moro, o ex-juiz ladrão, nas palavras do deputado Glauber Braga, o qual ganhou seu “paraquedas dourado” na empresa de consultoria norte americana Alvarez & Marsal. Lembrando que Bolsonaro não seria presidente se não fosse esta operação criminosa conhecida como Lava Jato, da qual Moro é um dos principais lesa-pátria que participou deste plano de destruição das empresas nacionais.

Agora temos a Copa América, mais uma tentativa de prover circo para o povo. Mesmo que este circo signifique um aumento da contaminação e das mortes.  Pois o que conta para o sistema bolsonarista é a escalada de poder necessária para continuar “passando a boiada”, como disse o Ministro Ecocida Ricardo Salles, na reunião bizarra que veio à tona para espanto dos opositores do “desgoverno” e para deleite dos bolsonaristas. Isso mesmo, os bolsonaristas - mais comumente chamados de “gado”, pois mais parecem um rebanho que se movimenta de acordo com as ordens de seu “Mito” - adoraram toda a bizarrice que foi revelada nesta tenebrosa reunião. Em verdade o Bolsonarismo funciona mais como uma seita religiosa, onde seus fiéis creem cegamente e divulgam sem a mínima ponderação os maiores absurdos que são ditos por Bolsonaro. Só que neste caso, o Negacionismo e o Obscurantismo do “desgoverno” com relação a pandemia, não coloca apenas os fiéis desta seita em risco de vida, mas todo o povo brasileiro. Desta forma é possível afirmar que toda a população brasileira está com a vida em risco com a proliferação do Bolsonarismo, pois na mesma medida que eles proliferam as Fake News, também proliferam o Sars-Cov-2 (vírus que causa o Covid-19), o qual já levou a óbito mais de 490 mil brasileiros.

A máxima “pão e circo” não vale para o Brasil. Neste Circo dos Horrores do Bolsonarismo, a morte foi banalizada - está valendo até matar seus próprios “fiéis”, à lá Jim Jones - e o ódio entrou na pauta diária das mídias de notícias. O pão, por sua vez, está cada vez mais difícil de ser adquirido, já que a decolada desenfreada da inflação e o aumento descomunal do desemprego lamentavelmente recolocou o Brasil no mapa da fome. O Bolsonarismo é o mal que está destruindo o país de forma aceleradíssima. Expurgar esse mal é urgente e necessário para preservação do povo brasileiro.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247