O telhado de vidro de tucanos e aliados

"É hipocrisia atribuir toda a corrupção, com exclusividade, a algum partido ou governo. Como se em governos tucanos e de seus aliados nada tivesse acontecido", afirma o colunista do 247 Hélio Doyle; ele lembra dos chamados mensalões do PSDB, encabeçado por Eduardo Azeredo em Minas Gerais, e do DEM, por José Roberto Arruda em Brasília, que se arrastam na Justiça; "O país precisa de uma limpeza, sem dúvida. Mas não podem se limitar a um segmento, ou a alguns escolhidos. Todos devem ser investigados, sem 'preconceito' político ou ideológico. E os políticos tucanos, demistas e aliados que saem acusando tendo telhados de vidro devem ter mais cuidado", afirma; leia a íntegra

"É hipocrisia atribuir toda a corrupção, com exclusividade, a algum partido ou governo. Como se em governos tucanos e de seus aliados nada tivesse acontecido", afirma o colunista do 247 Hélio Doyle; ele lembra dos chamados mensalões do PSDB, encabeçado por Eduardo Azeredo em Minas Gerais, e do DEM, por José Roberto Arruda em Brasília, que se arrastam na Justiça; "O país precisa de uma limpeza, sem dúvida. Mas não podem se limitar a um segmento, ou a alguns escolhidos. Todos devem ser investigados, sem 'preconceito' político ou ideológico. E os políticos tucanos, demistas e aliados que saem acusando tendo telhados de vidro devem ter mais cuidado", afirma; leia a íntegra
"É hipocrisia atribuir toda a corrupção, com exclusividade, a algum partido ou governo. Como se em governos tucanos e de seus aliados nada tivesse acontecido", afirma o colunista do 247 Hélio Doyle; ele lembra dos chamados mensalões do PSDB, encabeçado por Eduardo Azeredo em Minas Gerais, e do DEM, por José Roberto Arruda em Brasília, que se arrastam na Justiça; "O país precisa de uma limpeza, sem dúvida. Mas não podem se limitar a um segmento, ou a alguns escolhidos. Todos devem ser investigados, sem 'preconceito' político ou ideológico. E os políticos tucanos, demistas e aliados que saem acusando tendo telhados de vidro devem ter mais cuidado", afirma; leia a íntegra (Foto: Hélio Doyle)
Siga o Brasil 247 no Google News

O chamado mensalão do PT e a operação Lava-jato ajudaram os que fazem oposição ao governo de Dilma Rousseff a passar para a sociedade uma grande mentira: a de que as práticas corruptas são exclusivas do PT e de políticos que apoiam o atual governo. Os acusadores, do PSDB, do DEM, do PPS, do Solidariedade e de outros partidos menores posam como defensores da moralidade pública e ferrenhos combatentes da luta contra a corrupção no país. O que é, no fundo, uma grande piada.

Alguns segmentos do Ministério Público e da Justiça e a chamada grande imprensa ajudam os oposicionistas a difundir essa grande mentira. Aparecem inúmeros indícios de envolvimento de parlamentares e dirigentes da oposição em irregularidades, mas esses indícios, de modo geral, ou parecem ser ignorados ou tratados com tanta lerdeza que caem no esquecimento. Há dois casos emblemáticos: a demora do Ministério Público em denunciar e da Justiça em julgar os chamados mensalões do PSDB, em Minas Gerais, e do DEM, em Brasília. Mas não são os únicos. A imprensa minimiza as acusações contra oposicionistas e exacerba as que atingem os governistas.

A verdade, porém, é simples: a corrupção, no Brasil, é um mal que assola políticos de todos os partidos, servidores públicos e juízes de todas as crenças. A corrupção está nos três poderes da República, dos estados e dos municípios. Do mais alto ao mais baixo escalão. Do ministro que cobra comissão sobre as obras ao servidor que cobra propina para liberar um papel. Do ministro de um tribunal superior ao juiz de uma vara no interior, que vendem suas sentenças. Do senador ao vereador, que recebem remuneração por votos, pareceres, emendas, convocações e desconvocações.

É hipocrisia, pois, atribuir toda a corrupção, com exclusividade, a algum partido ou algum governo. Como se em governos tucanos e de seus aliados nada tivesse acontecido. Como se só o PT tenha se lambuzado, nas palavras do ministro Jaques Wagner. Se bem que lambuzar talvez não seja o termo adequado para tucanos e aliados, pois para eles estar no poder não era nada novo, e a tecnologia do roubo de dinheiro público já era por eles bem conhecida.   

PUBLICIDADE

O país precisa de uma limpeza, sem dúvida. Todos os esforços para que isso aconteça são positivos. Mas não podem se limitar a um segmento, ou a alguns escolhidos. Todos devem ser investigados, sem “preconceito” político ou ideológico. E os políticos tucanos, demistas e aliados que saem acusando tendo telhados de vidro devem ter mais cuidado.  

PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email