urna eletrônica. Foto: Nelson Jr./ ASICS/TSE
Hélio Doyle

Contra a ditadura dos partidos

Possibilitar a qualquer cidadão o direito de disputar uma eleição sem estar filiado a partido político assegura o exercício de um direito político que não pode estar submetido ao "oligopólio"...

Eleições 2014 - Voto em trânsito no IESB, Asa Sul, Brasília. Foto: Marri Nogueira/ Agência Senado
Hélio Doyle

O falso voto distrital misto

"Na verdade é um voto distrital com os defeitos do sistema – entre os quais a falta de proporcionalidade – e sem as vantagens: será uma eleição muito cara e os eleitos não estarão próximos dos...

Foto externa do Congresso Nacional 
Hélio Doyle

O parlamentarismo deve esperar

O parlamentarismo pode esperar e, se for o caso, ser implantado quando o ambiente político estiver menos contaminado pelo poder econômico, pela corrupção e pela demagogia e o Congresso estiver...

Segundo o colunista do 247 Héio Doyle, o vazamento de informações "é um dos instrumentos utilizados pelos oposicionistas e seus aliados no Judiciário, no Ministério Público, na Polícia Federal e na imprensa para cumprir o objetivo de desgastar e inviabilizar o governo e criar um ambiente favorável ao afastamento da presidente"; o jornalista aponta, no entanto, "interesses menores" por trás, como o prestígio com os jornalistas ou "o vazamento em troca de dinheiro"; Doyle defende que "apurar todas as denúncias de corrupção é fundamental", mas alerta que "essa investigação não pode ser seletiva nem ter fins políticos e partidários, com vazamentos direcionados e manipulados"; o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, mandou a PF apurar vazamentos de mensagens envolvendo ministros do governo
Hélio Doyle

Por trás dos vazamentos seletivos

Segundo o colunista do 247 Héio Doyle, o vazamento de informações "é um dos instrumentos utilizados pelos oposicionistas e seus aliados no Judiciário, no Ministério Público, na Polícia Federal e na...

Brasília- DF 03-12-2015 Foto Lula Marques/Agência PT Ministro da casa civil, Jaques Wagner durante entrevista no Planalto.
Hélio Doyle

Deixem Wagner falar

Para o colunista Hélio Doyle, "o chefe da Casa Civil pode e deve falar de tudo – política, economia, temas sociais, de segurança, de política externa. Essa é uma de suas funções, ser o principal...

Em novo artigo, o colunista Hélio Doyle alerta para os movimentos dos que tentam impor o parlamentarismo no País; "Agora, volta-se a falar em parlamentarismo como saída para a crise, mesmo tendo esse sistema de governo sido derrotado, no plebiscito de 1993, por expressiva margem: 55,58% votaram no presidencialismo e 24,87% no parlamentarismo", diz ele; "Os presidentes da Câmara e do Senado, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, já falam sobre a possibilidade de reinstaurar o parlamentarismo, embora não esteja claro ainda quando e como. Se for no atual mandato, será visto como golpe contra a presidente Dilma Rousseff – como foi um golpe contra Jango. Se for por emenda constitucional, poderá ser considerado um desrespeito ao resultado do plebiscito de 1993"
Hélio Doyle

A panaceia parlamentarista

Em novo artigo, o colunista Hélio Doyle alerta para os movimentos dos que tentam impor o parlamentarismo no País; "Agora, volta-se a falar em parlamentarismo como saída para a crise, mesmo tendo...

Brasília - Presidenta Dilma Rousseff concede entrevista coletiva após reunião com juristas em ato para denunciar a falta de base jurídica do pedido de abertura do processo de impeachment (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Hélio Doyle

Em busca de uma saída

"Para enfrentar a crise política, é preciso uma reforma profunda no Estado, nos poderes e no sistema eleitoral. Para superar a crise econômica, é preciso tomar medidas que levem ao equilíbrio...

"Agora está na hora de a oposição cair na realidade. Está muito difícil conseguir o impeachment, não é provável uma condenação judicial e Dilma não dá mostra nenhuma de que possa renunciar. A população, ainda que reprovando e rejeitando o governo, está saturada da política e da politicagem e não vê, em tucanos e no PMDB, alternativas positivas para substituir Dilma", diz o colunista Hélio Doyle; "O vice-presidente Michel Temer e seus colegas do PMDB, os tucanos de Aécio, Alckmin e Serra e seus aliados menores do DEM, do PPS e do Solidariedade têm um caminho melhor do que insistir na derrubada do governo por um golpe paraguaio: é se preparar para as eleições de 2016 e, principalmente, de 2018. Aí sim, com legitimidade, poderão derrotar o governo e ocupar o Palácio do Planalto. No voto"
Hélio Doyle

O melhor caminho é o voto

"Agora está na hora de a oposição cair na realidade. Está muito difícil conseguir o impeachment, não é provável uma condenação judicial e Dilma não dá mostra nenhuma de que possa renunciar. A...

"Ele mostra em entrevista à Carta Capital que duas das saídas de Dilma para melhorar seu desempenho tiveram resultado contrário: a política econômica de Joaquim Levy e os acordos na base do toma lá dá cá com políticos corruptos", escreve o colunista do 247 Hélio Doyle
Hélio Doyle

Ciro Gomes é bom de briga

"Ele mostra em entrevista à Carta Capital que duas das saídas de Dilma para melhorar seu desempenho tiveram resultado contrário: a política econômica de Joaquim Levy e os acordos na base do toma lá...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247

Últimos envios

Revista Brasil 247