Trintas dias

Por trinta dias estais em uma cela; por trinta longos e intermináveis dias se achas recluso, isolado dos seus; da sua família e do seu incansável povo brasileiro; do mesmo povo que não cansa de gritar "Lula Livre". Força Presidente! A história está plena e integralmente em vossas mãos...

Por trinta dias estais em uma cela; por trinta longos e intermináveis dias se achas recluso, isolado dos seus; da sua família e do seu incansável povo brasileiro; do mesmo povo que não cansa de gritar "Lula Livre". Força Presidente! A história está plena e integralmente em vossas mãos...
Por trinta dias estais em uma cela; por trinta longos e intermináveis dias se achas recluso, isolado dos seus; da sua família e do seu incansável povo brasileiro; do mesmo povo que não cansa de gritar "Lula Livre". Força Presidente! A história está plena e integralmente em vossas mãos... (Foto: Ângelo Cavalcante)

Por trinta dias estais em uma cela; por trinta longos e intermináveis dias se achas recluso, isolado dos seus; da sua família e do seu incansável povo brasileiro; do mesmo povo que não cansa de gritar "Lula Livre".

É grito que faz vibrar a militância. que emociona, toca e nos cora a face; é também, como tinha de ser, brado que constrange, desconcerta e que deixa muita gente desconfiada! Sinceramente, essa é a melhor parte! O outro é o nosso melhor! É que no fundo, no fundo, todos sabemos de que não há provas; não há base, substância ou justificativa para jogar um gigante feito você em uma masmorra.

Por sinal, Sonia Haas, lá da Bahia, me contou que na comemoração do seu aniversário; festa animada, calorosa e que ia muito bem! Todos bebericando seus drinques, pulavam de alegria, cantavam até que a banda decidiu lascar um "...Lula-lá, brilha uma estrela; Lula-lá, com sinceridade..."; de repente, o que era alegria se tornou pranto para alguns; uns bacanas ficaram bicudos (bicos de tucano, é claro!), outros, bem magoadinhos foram se assentar mas a maioria, a grande maioria, seu povo... Se jogou na pista, se abraçava e berrava sonoro e melódico "...sem medo de ser feliz quero ver chegar... Lula-lá...".

É assim mesmo! É que é impressionante testemunharmos o prisioneiro mais livre do mundo; o encarcerado mais onipresente da história brasileira; está nas praias, nos bailes, nas periferias, em casamentos, eventos sociais, encontros universitários ou seminários internacionais. Está em igrejas evangélicas... Conseguem imaginar o quão harmônico são os tons roucos da voz de Lula da Silva?

Não por acaso, o 'Caso Lula' é figurinha tarimbada e recorrente no Senado Americano, no Parlamento Europeu, em sessões temáticas da ONU e em todos os encontros recentes dos principais Chefes-de-Estado do mundo. Não é acusado de absolutamente nada, ao contrário; é que sua prisão indica a conformação geopolítica e imperialista acontecendo para todo o sub-continente da América Latina. Lula é, de longe, um dos principais indicadores políticos dessa geopolítica. Lula Livre é recuo americano e de sua lógica estanque, privatista e empresarial; Lula candidato o sinal amarelo é acionado na Casa Branca e; Lula Presidente, uma nova Guerra Fria é imediatamente acionada porque algo de muito original e ameaçador acontece no meio dos povos do mundo.

Mas o importante é que Lula não será compreendido por enquanto; seu efetivo entendimento se dará simples e tão somente, quando tudo isso passar; quando esse anômico e catastrófico estado de exceção tiver chegado ao seu fim; quando tivermos lançado gárgulas e ogros fascistas em suas respectivas fossas; e o faremos! Quando as orbitas dos planetas estiverem devidamente alinhadas e a grande transformação acontecer doce e suave no juízo e nas práticas cotidianas do nosso povo. Aí sim... As clarividências e inspirações mostrarão quem é quem nessa peleja!

Por fim, vultos paradigmáticos como Cristo, Gandhi ou Mandela foram igualmente lançados em calabouços asquerosos; foram, como tinha de ser, severamente insultados, caluniados e desrespeitados com a certeza que só canalhas e demagogos possuem. No coador da história a verdade é, por fim mostrada.

O primeiro se tornou deus; o segundo fundou uma nação livre de um colonialismo brutal e repulsivo e o seguinte despontou como presidente para pacificar um país afundado em aberta guerra civil entre irmãos brancos e negros. Lula terá sua glória e júbilo no seu respectivo tempo; quanto aos ataques eles sempre aconteceram; depois se ressentem, seus vocalizantes se acalmam e se tornam 'cidadãos de bem' e outra história começa.

Força Presidente! A história está plena e integralmente em vossas mãos... Trate-a, como tem feito, com carinho e amor. Nada poderá dar errado!

Ao vivo na TV 247 Youtube 247