Advogado que ganhou caso de “estupro culposo” e humilhou Mariana Ferrer já defendeu Sara Winter e Olavo de Carvalho

Gastão representou o guru bolsonarista em uma ação movida contra o historiador Marco Antonio Villa e defendeu Winter quando a extremista foi presa

Claudio Gastão da Rosa Filho
Claudio Gastão da Rosa Filho (Foto: Reprodução/YouTube)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Durante o julgamento do processo por abuso sexual movido pela influencer Mariana Ferrer contra o empresário André de Camargo Aranha, o advogado Claudio Gastão da Rosa Filho, se utilizou de tentativas de humilhação e fotos sensuais da vítima para tentar deslegitimar seu argumento. Gastão, que já atuou na defesa de Olavo de Carvalho e Sara Winter, conseguiu através do promotor Thiago Carriço a sentença de “estupro culposo”, absolvendo seu cliente.

Segundo informações veiculadas na reportagem de Schirlei Alves no The Intercept Brasil, imagens da audiência mostram que o advogado tentou humilhar Mariana durante o julgamento. A defesa mostrou fotos sensuais da jovem feitas antes do crime como argumento de que a relação foi consensual. Gastão disse que as imagens são “ginecológicas” e que “jamais teria uma filha” do “nível” de Mariana.

A reportagem ainda mostra uma relação do advogado com expoentes da extrema-direita brasileira, como Olavo de Carvalho e Sara Giromini “Winter”. Gastão representou o guru bolsonarista em uma ação movida contra o historiador Marco Antonio Villa e defendeu Winter quando a extremista foi presa pela Polícia Federal diante das manifestações contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais na Fórum.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247