Anvisa diz que pedido do Butantan de importação da Coronavac será decidido em até 5 dias úteis

Mais cedo, o diretor-presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou que a Anvisa estaria retardando a autorização para importação da matéria-prima da farmacêutica chinesa Sinovac, que possibilitará a fabricação da vacina chinesa no Brasil

ANVISA
ANVISA (Foto: ANVISA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou nesta quinta-feira que um pedido do Instituto Butantan para importação de insumos da vacina chinesa contra a Covid-19 Coronavac será respondido em no máximo cinco dias úteis, negando que tenha atrasado o processo.

Mais cedo, o diretor-presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que a Anvisa estaria retardando a autorização para importação da matéria-prima da farmacêutica chinesa Sinovac, que possibilitará a fabricação da vacina chinesa no Brasil.

Apesar de ter afirmado que a resposta será dada em até cinco dias úteis, a Anvisa ressaltou que, mesmo que o pedido de importação seja autorizado, a vacina não pode ser aplicada na população, tendo em vista que a Coronavac não possui registro sanitário no Brasil.

A vacina chinesa virou tema de disputa acirrada entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria, seu desafeto político, uma vez que o Butantan é ligado ao governo paulista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247