Bolsonaro mente sobre insulto a nordestinos e ataca general que o criticou

Jair Bolsonaro foi às redes sociais e mentiu sobre sua declaração gravada em que chamou todos os nordestinos de "paraíbas"; embora sua fala não possa ser negada, ele afirmou que apenas criticou o governador do Maranhão, Flávio Dino; para piorar, ele também atacou o general da reserva Luiz Rocha Paiva, que afirmou que as declarações foram “antipatrióticas” e “incoerentes"

247 - Após a repercussão da agressão que fez contra o Nordeste ganhar o mundo, o presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para afirmar que não fez “nenhuma crítica ao povo nordestino”, que, segundo ele, são seus “irmãos”.  Na postagem, porém, ele reiterou o ataque que fez ao governador do Maranhão, Flávio Dino, que faz oposição ao seu governo, ao reafirmar que comentou com o ministro da Casa Civil, Onyx LOrenzoni,  que "daqueles GOVERNADORES... o pior é o do Maranhão. 

A declaração de Bolsonaro sobre o Nordeste ganhou repercussão por ter sido captado por um microfone pouco antes de um café da manhã realizado com correspondentes estrangeiros na última sexta-feira (19). Na ocasião, em uma conversa com Lorenzoni, Bolsonaro se referiu aos nordestinos como “paraíbas” - termo preconceituoso e depreciativo usado contra a população da Região Nordeste -, além de ter dito a Lorenzoni  para “não ter nada com esse cara", em referência ao governador do Maranhão. 

Na mesma postagem, Bolsonaro também atacou o general da reserva Luiz Rocha Paiva, que afirmou que as declarações preconceituosas de Bolsonaro foram “antipatrióticas” e “incoerentes”, além de “menosprezarem” a população da segunda região mais populosa do país. Em uma segunda postagem, ele disse que o general é “um melancia” que defende a Guerrilha do Araguaia”. (Leia no Brasil 247)

Confira os Twitters de Jair Bolsonaro sobre o assunto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247