Após Trump ser suspenso de redes sociais, Bolsonaro pede que seus seguidores utilizem o Telegram

"Inscreva-se em meu canal oficial no Telegram", postou Jair Bolsonaro no Twitter. Postagem foi feita após o Twitter e o Facebook suspenderem os perfis do presidente dos EUA, Donald Trump, pela difusão de fake news e por estimular apoiadores a invadirem o prédio do Congresso

Bolsonaro admite rever BPC e reduzir idade mínima para mulher se aposentar
Bolsonaro admite rever BPC e reduzir idade mínima para mulher se aposentar (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro usou sua conta no Twitter para pedir que seus seguidores na rede social se inscrevam em seu canal oficial no aplicativo Telegram, concorrente do WhatsApp. Mensagem foi postada na noite desta terça-feira (12) e vem na esteira da suspensão das contas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pelas plataformas por difundir informações falsas e por estimular que seus apoiadores invadissem o prédio do Congresso norte-americano. 

"Inscreva-se em meu canal oficial no Telegram", postou Bolsonaro. Ele possui 6,6 milhões de seguidores no Twitter. Neste final de semana, Bolsonaro já havia utilizado sua conta no Instagram, que possui 18 milhões de seguidores, a utilizarem a rede social Parler, que se apresenta como uma alternativa de “liberdade de expressão” ao Twitter e se tornou a favorita da base de extrema direita de Donald Trump. 

A Parler foi banida pelo Google, Apple e pela Amazon após ter sido utilizada por extremistas no planejamento da invasão do Capitólio. 

Confira a postagem de Jair Bolsonaro sobre o assunto. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247