Bolsonaro agora diz que governo vai comprar "qualquer vacina" que for aprovada por Saúde e Anvisa

"Passando pela [Ministério da] Saúde e sendo certificado pela Anvisa, o governo federal vai comprar a vacina e vai disponibilizar, mas não vai ser obrigatória de jeito nenhum", disse ele, em transmissão pelas redes sociais

Bolsonaro e vacina
Bolsonaro e vacina (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (9) que o governo federal vai comprar e oferecer para a população qualquer vacina contra a covid-19 que passar pelo aval do Ministério da Saúde e for certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas repetiu que essa imunização não será obrigatória para a população.

"Passando pela [Ministério da] Saúde e sendo certificado pela Anvisa, o governo federal vai comprar a vacina e vai disponibilizar, mas não vai ser obrigatória de jeito nenhum", disse ele, em transmissão pelas redes sociais, no Palácio da Alvorada.

A fala do presidente ocorre no dia em que duas gigantes farmacêuticas —a norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech— anunciaram que a vacina que desenvolvem possui pelo menos 90% de eficácia, segundo dados das empresas não revisados de forma independente.

O Brasil, entretanto, não tem acordo até o momento para adquirir a vacina Pfizer/BioNTech, uma vez que o governo federal apostou suas fichas no imunizante em desenvolvimento pelo laboratório AstraZeneca com a Universidade de Oxford.

Separadamente, o governo de São Paulo, por meio do Instituto Butantan, firmou acordo com o laboratório chinês Sinovac. No entanto, como o acordo foi feito com o governador de São Paulo, João Doria —seu inimigo político— Bolsonaro desautorizou um acordo inicial entre o Ministério da Saúde e o Butantan para compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa antes da aprovação pela Anvisa.

O governo brasileiro também participa do sistema Covax Facilities, da Organização Mundial de Saúde (OMS), para compra de outro imunizante que porventura seja aprovado internacionalmente.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247