Bolsonaro avalia zerar imposto de importação de itens da cesta básica para conter alta em preços

A ideia do governo federal é propor à Camex (Câmara de Comércio e Exterior), um comitê vinculado ao Ministério da Economia, zerar a alíquota de importação do arroz vindo de países fora do Mercosul. Itens da cesta básica subiram mais de 20% no acumulado de 12 meses

Jair Bolsonaro, pessoa fazendo compras no mercado e notas de real
Jair Bolsonaro, pessoa fazendo compras no mercado e notas de real (Foto: Marcos Corrêa/PR | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após afirmar que o governo federa não vai intervir "de jeito nenhum" nos preços dos alimentos, Jair Bolsonaro avalia zerar o imposto de importação de itens da cesta básica. A alta chegou a superar os 20% no acumulado de 12 meses em produtos como feijão, arroz e óleo de soja. O governo, no entanto, 

De acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo, a ideia do governo é propor à Camex (Câmara de Comércio e Exterior), um comitê vinculado ao Ministério da Economia, zerar a alíquota de importação do arroz vindo de países fora do Mercosul. 

A alíquota de importação para países fora do Mercosul é de 12% para o arroz e 8% para soja e milho. Dentro do bloco, a tarifa é zero. A intenção do governo é realizar já nesta semana uma reunião do órgão. 

Associações do varejo divulgaram cartas públicas alertando para o aumento de preços. 

Executivos de supermercados consideraram um ato de desespero a cobrança do governo para que o setor explique o aumento nos preços dos alimentos. A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça notificou a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247