Bolsonaro usa vídeo do presidente do Conselho Federal de Medicina para novo ataque aos governadores

Governadores do Nordeste são o alvo do novo ataque de Bolsonaro na manhã deste domingo. O motivo é a decisão dos governadores da região de criarem a Brigada Especial de Saúde para atuar durante seis meses na epidemia do coronavírus. A brigada é composta por estudantes, médicos formados no exterior e voluntários

(Foto: Agência Brasil | Tony Winston/Agência Brasília)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro voltou a atacar os governadores na manhã deste domingo (3). Desta vez o alvo foram os governadores do Nordeste que criaram uma Brigada Especial de Saúde  para atuar durante seis meses na epidemia do coronavírus. A brigada é composta por estudantes, médicos formados no exterior e voluntários. Bolsonaro usou um vídeo do presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Ribeiro, que atacou os governadores chamando-o de “traidores”.

Em plena crise do coronavírus, o CFM mantém sua defesa corporativa da “reserva de mercado” dos médicos formados no país e vetando o acesso ao trabalho de 15 mil médicos brasileiros formados no exterior e que atuam livremente em dezenas de países.

“O Presidente Jair Bolsonaro apoia o Dr. Mauro Ribeiro, Presidente do Conselho Federal de Medicina, contra a proposta dos governadores do nordeste”, afirma o texto nas páginas de Bolsonaro nas redes -a redação indica que o post é de autoria de assessores. No post, segue-se o longo vídeo do médico com ataques virulentos aos governadores.

"Vejo essa situação como uma situação de traição desses governadores, com argumentos falaciosos, com argumentos mentirosos, se aproveitando do momento de maior ameaça da história da nossa sociedade em relação a uma doença terrível, altamente transmissível, e de uma letalidade muito rápida para aprovarem algo totalmente desprezível" -este é um dos trechos do discurso do presidente do CFM, que é do Mato Grosso do Sul.

Segundo o coordenador da Comissão Científica do Consórcio, o neurocientista Miguel Nicolelis, a estratégia de atuação dos profissionais contratados para a Brigada será feita com base em informações fornecidas pela própria população, por meio do aplicativo “Monitora Covid-19”, desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ele afirma que a implantação da medida tem que ser imediata.“Como as pessoas vão poder fornecer seus dados clínicos pelo aplicativo, a gente vai ter uma noção de onde estão os novos focos e onde estão os pacientes que precisam de ajuda imediata. A Brigada vai ser o braço efetuador dessa estratégia. Armada das localizações onde estão os focos, a Brigada vai agir nos municípios, nos bairros, nas residências, tratando das pessoas e, se for comprovado que elas têm o coronavírus, isolando elas para que não aumente os casos de infectados”, explicou Nicolelis ao Brasil de Fato.

Para o neurocientista, a Brigada também é uma oportunidade de profissionais que não podem exercer a medicina por não conseguirem revalidar diplomas estrangeiros – atualmente, são cerca de 15 mil no país – cumprirem a “missão de salvar dezenas e até centenas de milhares de vidas no Nordeste”.

Veja o post de Bolsonaro:

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247