Bolsonaro volta a atacar a Coronavac e diz que ela "não tem uma comprovação científica"

Sem citar evidências, Jair Bolsonaro afirmou que "muita gente" não estaria desenvolvendo anticorpos depois de tomar a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan (SP). “Então essa vacina não tem uma comprovação científica ainda”

Jair Bolsonaro e a vacina Coronavac
Jair Bolsonaro e a vacina Coronavac (Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro voltou a sabotar a vacinação no país ao criticar o imunizante Coronavac, desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan (SP). Bolsonaro disse que a vacina não tem comprovação científica e, sem citar evidências, afirmou que "muita gente" não estaria desenvolvendo anticorpos depois de tomá-la.

"A Coronavac, o prazo de validade dela parece que é em torno de 6 meses. E assim mesmo muita gente tem tomado e não desenvolve anticorpo nenhum. Então essa vacina não tem uma comprovação científica ainda", disse ele, que também criticou medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores. A entrevista foi concedida à "SIC TV", de Rondônia, e os relatos foram publicados pelo jornal O Globo.

A Coronavac passou por testes clínicos que verificaram sua segurança e eficácia. O Instituto Butantan realizou os testes e os resultados foram enviados para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Após análise dos documentos, a agência aprovou o uso emergencial da vacina.

PUBLICIDADE

Em outubro do ano passado, Bolsonaro atacou a China e anunciou que não compraria insumos do país asiático para a produção de imunizantes.  

As agressões dele também colocaram em risco a oferta de vacinas ao Brasil. Em maio, a farmacêutica SinoVac cobrou uma mudança de posicionamento do governo para garantir o envio de insumos ao Butantan.

PUBLICIDADE

Outro ataque ao país asiático, em plena pandemia, aconteceu em novembro do ano passado, mas sobre a tecnologia 5G. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou o embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, ao dizer que o governo brasileiro declarou apoio a uma "aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China".

Em nota, a embaixada chinesa no Brasil classificou a postagem do parlamentar como "totalmente inaceitável para o lado chinês e manifestamos forte insatisfação e veemente repúdio a esse comportamento". "A parte chinesa já fez gestão formal ao lado brasileiro pelos canais diplomáticos", acrescentou a embaixada chinesa.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email