CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Eduardo Bolsonaro repete narrativa bolsonarista de perseguição e censura em evento da extrema direita mundial

Eduardo Bolsonaro participou da Conferência de Ação Política Conservadora, realizada na Hungria, onde voltou a criticar as instituições e a negar os atos golpistas do 8/1

Imagem Thumbnail
Eduardo Bolsonaro (Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), usou sua participação no evento da extrema direita mundial, o CPAC 9 (Conferência de Ação Política Conservadora), realizado na Hungria, para repetir a narrativa bolsonarista que o Brasil vive uma “ditadura do Judiciário” e criticar as instituições e negar uma suposta tentativa de golpe de Estado engendrada por Jair Bolsonaro (PL)  seus aliados.

O parlamentar também aproveitou a oportunidade para defender o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, e os participantes dos atos golpistas do dia 8 janeiro de 2023, alegando que estes estariam sendo tratados de forma injusta e até mesmo sujeitos a supostas "torturas". 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O deputado também criticou as prisões de Felipe Martins, Silvinei Vasques e outros aliados do ex-mandatário, sugerindo que haveria um abuso de poder por parte das autoridades. De acordo com a coluna do jornalista Jamil Chade, do UOL, “sem qualquer prova, ele ainda insistiu que esses aliados estariam sendo ‘torturados para falar qualquer coisa que relacione Bolsonaro com esse golpe de estado fantasioso’”.

Em seu discurso, Eduardo Bolsonaro também disse que existe uma crescente repressão e "censura" no Brasil, colocando em xeque a democracia no país. Além das críticas, o deputado fez questão de elogiar o bilionário Elon Musk, dono da plataforma X [antigo Twitter] por expor supostos bastidores do embate entre o ministro do STF Alexandre de Moraes e a rede social. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em meados de abril, uma comissão do Congresso dos EUA publicou uma série de decisões sigilosas de Moraes sobre a suspensão ou remoção de perfis ligados à extrema direita e a disseminação de fake news nas redes sociais. As decisões foram obtidas a partir de intimação feita ao X no Brasil. 

Após sua participação no evento de extrema direita, evento, Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais para agradecer a participação na conferência e disse que o presidente húngaro, Viktor Orbán, "é hoje o maior líder conservador no poder no mundo".

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO