Em carta enviada a Mourão, servidores do Ibama estimam que desmatamento na Amazônia pode crescer 28%

Além do vice-presidente Hamilton Mourão, a carta assinada por mais de 600 servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) foi direcionada ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do Senado, Davi Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli

Hamilton Mourão
Hamilton Mourão (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) emitiram uma carta aberta ao vice-presidente Hamilton Mourão, que também comanda o Conselho da Amazônia, estimando que o desmatamento neste ano na região pode ser 28% maior que em 2019. Na comparação com 2018, aumento é de 72%. A informação é do portal G1. 

O intervalo considerado na estimativa é entre agosto e julho, na comparação com o mesmo período um ano antes, acrescenta a reportagem

A carta, assinada por mais de 600 servidores do órgão, também foi dirigida a outras autoridades, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

"Se no mês de julho deste ano constatar-se a metade do desmatamento que tivemos em julho de 2019, fecharemos o Deter [monitoramento em tempo real] dos 12 meses do período Prodes [sistema que consolida os dados] com 8. 672 km². Se a proporção entre o que é detectado com o Deter se mantiver na média de 66% do Prodes, podemos estimar um Prodes 2020 chegando na casa dos 13 mil km² de desmatamento na Amazônia, um aumento estimado de 28% em relação a 2019 e 72% em relação a 2018", alertam os servidores na carta.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247