Ex-mendigo Givaldo Alves ficou preso por oito anos por sequestro em SP

Conhecido por ser o morador de rua que teve relações sexuais com uma mulher em crise, o ex-sem-teto cumpriu pena de 8 anos e tem 4 identidades

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução/Metrópoles)


Metrópoles - Há cerca de dois meses, Givaldo Alves ficou conhecido por ser o morador de rua que teve relações sexuais com Sandra Mara, quando ela estava em estado de crise, e logo depois, ser espancado pelo marido dela, o personal Eduardo Alves. Desde então, o ex-sem-teto ganhou status de celebridade sem falar muito sobre o seu passado, inclusive os oito anos em que esteve preso por furto qualificado e extorsão mediante sequestro, como revelou o Estado de Minas.

Segundo o veículo, os crimes aconteceram em 2001 e 2004, respectivamente. O primeiro, quando Givaldo e uma ou mais pessoas furtaram um bem da vítima, utilizando uma chave falsa. Ele só foi condenado em 2005, quando já cumpria seu período na prisão pelo segundo crime.

Em 2004, Alves teria invadido uma casa com mais duas pessoas, todos armados, quando sequestraram uma mulher, exigindo seu resgate. Ele foi o responsável por buscar o valor em troca da liberdade da vítima e foi preso em flagrante, por consequência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Givaldo foi condenado a passar 17 anos de reclusão em regime fechado e, enquanto cumpria essa pena, foi condenado pelo furto de 2001, adicionando mais dois anos de prisão, em regime inicial aberto, ao total. Além disso, ele também teve que pagar uma multa por 10 dias pelo furto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo no Metrópoles

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email