Ex-ministro Milton Ribeiro é preso em operação da PF contra irregularidades no MEC

Agentes cumprem cinco mandados de prisão e 13 de busca e apreensão nos estados de Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal

www.brasil247.com - Milton Ribeiro
Milton Ribeiro (Foto: Isac Nóbrega/PR | Agência Brasil | PR | FNDE | Reprodução)


247 - A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (22) uma operação que apura irregularidades na liberação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Entre os alvos da operação estão os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, ligados a Jair Bolsonaro (PL) e suspeitos de atuarem como intermediários na liberação de verbas do esquema. O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso preventivamente, de acordo com CNN Brasil. Ao todo, os agentes cumprem cinco mandados de prisão e 13 de busca e apreensão nos estados de Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal. 

Áudios divulgados em março deste ano mostraram Ribeiro afirmando que os pastores favoreciam municípios que negociavam verbas diretamente com eles. Ainda segundo Ribeiro, a priorização de verbas para determinadas prefeituras por intermédio dos pastores seria um pedido de Jair Bolsonaro (PL), apesar deles não possuírem cargos no governo.

 Na ocasião, Jair Bolsonaro chegou a dizer que “botava  a cara no fogo” pela idoneidade do então ministro.  Milton Ribeiro foi exonerado do cargo poucos dias após o escândalo ser divulgado pela imprensa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email