Milton Ribeiro pede exoneração do MEC, após escândalo de gabinete paralelo

O titular da Educação vinha sendo pressionado a deixar o cargo após admitir a atuação de um gabinete paralelo na pasta

www.brasil247.com - Milton Ribeiro, ministro da Educação
Milton Ribeiro, ministro da Educação (Foto: ISAC NOBREGA/PR)


247 - O ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu exoneração, de acordo com informação publicada pela CNN Brasil nesta segunda-feira (28). A exoneração, assinada por Jair Bolsonaro, foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. 

O titular do MEC foi alvo de pressão após admitir que, na liberação de verbas para ações na educação, o governo Jair Bolsonaro prioriza prefeituras com pedidos intermediados por dois pastores - Gilmar Santos e Arilton Moura.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, havia pedido a abertura de inquérito para investigar o ministro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ministra Cármen Lúcia será a relatora do inquérito no STF que investigará o agora-ex-titular do MEC. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email