Milton Ribeiro pede exoneração do MEC, após escândalo de gabinete paralelo

O titular da Educação vinha sendo pressionado a deixar o cargo após admitir a atuação de um gabinete paralelo na pasta

www.brasil247.com - Milton Ribeiro, ministro da Educação
Milton Ribeiro, ministro da Educação (Foto: ISAC NOBREGA/PR)


247 - O ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu exoneração, de acordo com informação publicada pela CNN Brasil nesta segunda-feira (28). A exoneração, assinada por Jair Bolsonaro, foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. 

O titular do MEC foi alvo de pressão após admitir que, na liberação de verbas para ações na educação, o governo Jair Bolsonaro prioriza prefeituras com pedidos intermediados por dois pastores - Gilmar Santos e Arilton Moura.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, havia pedido a abertura de inquérito para investigar o ministro.

A ministra Cármen Lúcia será a relatora do inquérito no STF que investigará o agora-ex-titular do MEC. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247