Futuro de 10 milhões de vacinas Sputinik V no Brasil é incerto

A empresa União Química disse que, se a Anvisa demorar muito na aprovação das 10 milhões de vacinas Sputnik V, o país europeu vai exportá-las

Sputnik V
Sputnik V (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A empresa União Química vive uma incerteza quanto ao futuro de 10 milhões de vacinas Sputnik V, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitar o pedido inicial de uso emergencial. A instituição aguarda mais documentos para analisar a liberação. A informação foi publicada pela coluna Painel

A União Química espera receber 600 mil doses da Rússia em janeiro, outras 3,4 milhões em fevereiro e 6 milhões em março. A empresa já disse que, se a Anvisa demorar muito na aprovação, o país europeu vai exportá-las. 

Os estados brasileiros temem uma interrupção da vacinação com o fim das 6 milhões de doses importadas da Coronavac.

Governos estaduais levarão à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cobrando mais velocidade na autorização do uso emergencial das vacinas produzidas no Brasil pelo Instituto Butantan e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do que foi com as importadas - Oxford/AstraZeneca e da chinesa Sinovac (CoronaVac).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email