Glenn exalta Glauber, que chamou Moro de juiz ladrão

O jornalista Glenn Greenwald, um dos fundadores do Intercept Brasil, exaltou o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), que chamou Sérgio Moro de "ladrão"; Greenwald fez duas postagens no Twitter lembrando que o parlamentar já havia feito um duro discurso na Câmara chamando Eduardo Cunha (MDB-RJ) de "gângster" e Michel Temer de "bandido"; assista aos vídeos

247 - O jornalista Glenn Greenwald, um dos fundadores do site Intercept Brasil, que vêm revelando o conluio entre Sérgio Moro e procuradores da Operação Lava Jato, exaltou o deputado federal Glauber BRaga (PSOL-RJ). O pessolista chamou o ministro da Justiça de "ladrão", em audiência  com o ex-juiz nesta terça-feira (2) na Câmara. "O senhor entrará para a história como um juiz ladrão", disse o parlamentar.

Greenwald fez duas postagens no Twitter lembrando que o deputado já havia feito um duro discurso na Câmara chamando de "gângster" o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), em 2016. Em outro discurso, Braga afirmou que Michel Temer é um "bandido". 

"Lembro-me bem da última vez que o deputado Glauber Braga causou polêmica e comoção na Câmera com suas palavras fortes. Acho que todos podem concordar que ele também estava correto então", escreveu o jornalista no Twitter.

"Aqui está mais uma vez que o deputado Glauber Braga causou raiva e controvérsia na Câmara com suas palavras fortes, mas acho que todos podem reconhecer que ele estava certo naquele momento também. Parece que ele tem talento para identificar políticos corruptos", complementou.

A troca de mensagens de Moro com procuradores que vem sendo publicada na imprensa aponta que ele, na condição de juiz da Lava Jato, interferia no trabalho do Ministério Público Federal (MPF-PR), o que fere a equidistância entre juiz e quem acusa. 

Na tentativa de retaliar o jornalista, a Polícia Federal, subordinada ao ministério da Justiça, chefiado por Moro, pediu ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) uma investigação sobre as movimentações financeiras do de Greenwald. De acordo com o ex-deputado Wadih Damous (PT-RJ), ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), se for confirmada a informação, divulgada pelo site Antagonista, Moro terá cometido o crime de improbidade administrativa (veja aqui).

Ao vivo na TV 247 Youtube 247