Guedes faz "pedido desesperado de socorro" a Fux e Pacheco para resolver precatórios

O ministro da Economia atribuiu o problema dos precatórios a fatores vindos do exterior e negou que o Executivo seja responsável pela crise

Paulo Guedes
Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez um "pedido desesperado de socorro" aos chefes do Judiciário, Luiz Fux, e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, para solucionar o problema dos precatórios. O governo busca o parcelamento das dívidas para permitir o pagamento de benefícios sociais durante a campanha eleitoral. 

"Meu pedido de socorro, muito mais do que qualquer outra coisa, é só um pedido desesperado de socorro. Quando a gente está desesperado, a gente corre pedindo proteção aos presidentes dos Poderes. De vez em quando eu peço ao presidente da República, da Câmara, do Senado e de vez em quando ao Supremo. Na plena confiança do amor ao Brasil, na capacidade intelectual e política no desempenho de cada um desses poderes", declarou.

Guedes atribuiu o problema dos precatórios a fatores vindos do exterior e negou que o Executivo seja responsável pela crise. "Precisamos de compreensão e ajuda para resolvermos um problema que eu chamei de meteoro, pois vem do exterior, não foi criado dentro do Executivo. O Executivo está tentando fazer seu trabalho com respeito, colaboração e união", declarou, em live transmitida pela Internet.

PUBLICIDADE

Os precatórios são dívidas da União com pessoas físicas, jurídicas, estados e municípios reconhecidas em decisões judiciais definitivas. Um efeito do parcelamento seria a aparência de que as contas do governo se enquadram na Lei de Responsabilidade Fiscal, um dos principais pilares da política econômica de Guedes. (Com informações do G1). 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email