Haddad: quem pensa é inimigo do governo Bolsonaro

Ex-prefeito criticou duramente mais uma ação antidemocrática do governo que, desta vez, através da CGU, abriu processo contra professores universitários que criticaram Bolsonaro nas redes sociais

Fernando Haddad
Fernando Haddad (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro Fernando Haddad usou suas redes sociais nesta quinta-feira (4) para criticar mais uma ação antidemocrática do governo Bolsonaro. 

Desta vez, através da Controladoria Geral da União (CGU), o governo federal abriu processo contra professores universitários que criticaram JairBolsonaro nas redes sociais.

Entenda o caso

A Controladoria-Geral da União (CGU) abriu um processo contra os professores da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) Pedro Hallal e Eraldo dos Santos Pinheiro, que fizeram críticas a Jair Bolsonaro no Youtube e no Facebook. 

A representação contra os docentes, que foram obrigados a  assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proibindo-os de proferirem críticas a Bolsonaro por dois anos, foi feita pelo deputado federal bolsonarista Bibo Nunes (PSL-RS). 

No ano passado, a CGU elaborou um documento aos moldes ditatoriais estabelecendo punições para os servidores públicos federais que utilizarem as redes sociais para criticar superiores hierárquicos ou órgãos que ocupam. De acordo com o jornal O Globo, um dos professores alvos da CGU é o ex-reitor da Ufpel Pedro Hallal.

Como um dos maiores pesquisadores sobre o tema hoje no Brasil, Hallal é crítico do posicionamento de Bolsonaro no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e se comprometeu a não repetir o ato novamente pelos próximos dois anos. O outro alvo da ação aberta pela CGU foi o professor Eraldo dos Santos Pinheiro. 

O processo na CGU foi motivado por um comentário realizado durante uma transmissão ao vivo sobre a nomeação de Isabela Fernandes Andrade para o cargo de reitora da Ufpel. Ela foi escolhida por Jair Bolsonaro para chefiar a instituição apesar de ter sido a segunda mais votada na lista tríplice da comunidade acadêmica.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email