Juíza decreta prisão temporária de suspeito do desaparecimento de indigenista e jornalista britânico

Uma testemunha disse à polícia que Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado, é um "homem muito perigoso", que vinha prometendo "acertar contas" com o indigenista Bruno Pereira

www.brasil247.com - Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado
Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado (Foto: Reprodução/TV Globo)


Sputnik Brasil - A justiça brasileira decretou a prisão temporária por cinco dias de Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado, suspeito de envolvimento no desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips.

A prisão foi decretada durante a audiência de custódia do suspeito, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (9).

Uma testemunha afirmou que viu Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado, carregar uma espingarda e fazer um cinto de munições e cartuchos pouco depois que o indigenista Bruno Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips deixaram a comunidade São Rafael com destino à Atalaia do Norte, na manhã do último domingo (5).

A testemunha disse que Pelado é um "homem muito perigoso", que vinha prometendo "acertar contas" com Bruno, segundo informações do jornal O Globo.

Logo depois que Bruno e Phillips deixaram a comunidade, um colega de Pelado foi visto em seu barco com o motor ligado em ponto morto, à espera dele.

A testemunha disse ainda que não "resta dúvidas" de que ele e outros homens fizeram "algo ruim" contra o barco do indigenista e do jornalista.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email