Lira diz a ministros do STF que deputados temem 'precedente perigoso' e acena com punição a Daniel Silveira

Em conversas com ministros do Supremo, o presidente da Câmara ouviu que é preciso "condenar enfaticamente" os ataques à corte

(Foto: CLEIA VIANA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), tenta articular uma saída com o Supremo Tribunal Federal (STF) para o caso do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), preso em flagrante na noite dessa terça-feira (16) após publicar um vídeo com ataques, xingamentos e incitação à violência contra ministro do Supremo. 

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, Arthur Lira conversou por telefone com menos dois magistrados do STF, Lira disse que  seus aliados temem o "precedente perigoso" de prisão de congressistas, que têm imunidade parlamentar, indicando não garantir que o plenário da Câmara chancele a decisão do Supremo.

Já os ministros do STF indicaram que vão ver como uma afronta do Parlamento uma atitude que livre Daniel Silveira de qualquer punição. Segundo os magistrados, é preciso condenar enfaticamente os ataques à corte.

Por medo de abrir caminho para facilitar que o STF decrete outras prisões temporárias, a ideia mais debatida entre líderes aliados de Lira é propor que o caso seja encaminhado ao Conselho de Ética que, por sua vez, enviaria o caso direto ao plenário da Câmara para que se casse ou no mínimo afaste do mandato o deputado do PSL ainda nesta semana.

Há expectativa de que ele só leve o caso ao plenário da Câmara na quinta (18).

 Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email