Lula: Bolsonaro quer acabar com Bolsa Família, porque não admite que o povo se lembre do PT

Em entrevista a uma rádio de Petrolina nesta sexta-feira (2), o ex-presidente Lula também criticou a gestão de Jair Bolsonaro na pandemia do coronavírus. "A ignorância venceu a inteligência. Bolsonaro virou 'farmacêutico', contra a ciência mundial", disse ele

Bolsonaro, cartão do Bolsa Família e Lula
Bolsonaro, cartão do Bolsa Família e Lula (Foto: Isac Nóbrega/PR | Jefferson Rudy/Agência Senado | Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (2) afirmou que Jair Bolsonaro "quer acabar com o Bolsa Família porque não admite que o povo se lembre do PT". 

"Ele não tem um projeto além das fakenews dele. Ele gosta mesmo é de miliciano, de mentir, do Queiroz, que arrumava dinheiro fácil", disse Lula em entrevista à Rádio Ponte FM, de Petrolina, principal município do Sertão de Pernambuco.

A atual gestão tenta criar o Renda Cidadã, para substituir o Bolsa Família. No entanto, o vice-presidente Hamilton Mourão disse que o governo não tem de onde tirar dinheiro para investir no novo programa, ainda não implementado. 

De acordo com o ex-presidente, "não é importante aparecer nada que foi feito por outras pessoas". "A elite não suporta política de inclusão social no País", afirmou. 

Na entrevista, Lula criticou a gestão de Bolsonaro na pandemia do coronavírus. "A ignorância venceu a inteligência", disse. "Bolsonaro virou 'farmacêutico', contra a ciência mundial. Deveria ter feito um  comitê de crise e orientar os mais de 200 milhões de brasileiros", acrescentou Lula.

Em seu discurso, Lula também fez um aceno aos empresários. "Eu duvido que não tenham um empresário que não ganhou dinheiro no meu governo. O Brasil não poderia ser grande ser os empresários não estivessem bem. E eles só poderiam estar bem se o posso estivesse bem. O empresário também não pode viver às custas da miséria do povo", afirmou.

O ex-presidente alertou para a necessidade de se eleger parlamentares alinhados com os valores progressistas. "Não adianta votar em presidente progressista e em deputado conservador", continuou o ex-presidente. 

"Não queira melhorar suas condições de trabalho se você vota no seu patrão. Não vote em latifundiário se quiser fazer reforma agrária. Não coloque uma raposa no galinheiro ou vão comer suas galinhas", disse. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email