Marcelo Uchôa: o pesadelo de Moro e cupinchas está só começando

O jurista Marcelo Uchôa fez referência à decisão do STF que anulou as condenações do ex-presidente Lula na Lava Jato

Jurista Marcelo Uchôa, ex-presidente Lula e Sérgio Moro
Jurista Marcelo Uchôa, ex-presidente Lula e Sérgio Moro (Foto: Reprodução | Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O jurista Marcelo Uchôa destacou a condição política favorável para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após o Supremo Tribunal Federal manter a anulação das condenações do petista. O advogado também reforçou que Sérgio Moro, condenado pela parcialidade contra o ex-presidente,  terá um ônus ainda maior com a decisão da Corte. 

"Pela manhã escrevi um fio pra tranquilizar geral sobre o julgamento de hoje.  Agora passo pra tranquilizar mais ainda. Lula será presidente do Brasil, o pesadelo de Moro e cupinchas tá só começando", escreveu o jurista no Twitter.

No julgamento dessa quinta, votaram acompanhando o relator, o ministro Edson Fachin, os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

PUBLICIDADE

Os votos divergentes foram dados pelos ministros Kassio Nunes Marques, indicado por Bolsonaro ao STF, Marco Aurélio Mello e Luiz Fux.

O ex-juiz da Lava Jato resolveu se esquivar de comentários sobre a decisão do Supremo. "Eu não tive interesse pessoal nesse caso, nem estava acompanhando o julgamento", acrescentou.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email