Milton Ribeiro deixa a PF em São Paulo onde estava preso desde quarta

Nesta quinta, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, decidiu pela cassação da prisão preventiva do ex-ministro da Educação

www.brasil247.com -
(Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República)


247 - Após passar um dia detido, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro deixou o prédio da Polícia Federal (PF) em São Paulo, nesta quinta-feira, 23. Na quarta, 22, o ex-ministro foi detido durante operação da PF. Ele é suspeito de ter montado gabinete paralelo com pastores no MEC para conseguir propina em troca de liberação de verbas para educação.

Nesta quinta, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, decidiu pela cassação da prisão preventiva de Ribeiro.

“Ante o exposto, defiro a liminar, se por outro motivo o paciente Milton Ribeiro não estiver segregado, para cassar a sua prisão preventiva, até o julgamento de mérito pelo colegiado da Terceira Turma deste TRF da 1ª. Região”, diz a decisão.

A decisão se estende a todos os demais presos na operação deflagrada pela Polícia Federal na quarta, incluindo os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, suspeitos de integrarem o gabinete paralelo. 

Na manhã desta quinta, o TRF-1 havia rejeitado o pedido de liberdade por um habeas corpus para o ex-ministro. O desembargador Moraes da Rocha, responsável pela negativa, não analisou o conteúdo da prisão e nem os argumentos da defesa.

Já o desembargador Ney Bello concedeu o direito. "Num Estado Democrático de Direito ninguém é preso sem o devido acesso à decisão que lhe conduz ao cárcere, pelo motivo óbvio de que é impossível se defender daquilo que não se sabe o que é", diz trecho da decisão de Bello. 

Os advogados do ex-ministro apenas tiveram acesso ao processo que culminou com a prisão de Milton Ribeiro nesta quinta-feira. A PF investiga suspeitas de corrupção e tráfico de influência durante sua gestão no Ministério da Educação (MEC).

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247