Ministério da Saúde enviou cloroquina a estados até janeiro, diz Exército

O Exército brasileiro confirmou que o ministério da Saúde, comandado atualmente pelo general Eduardo Pazuello, distribuiu, entre setembro de 2020 e janeiro deste ano, mais de 400 mil doses de hidroxicloroquina para tratar pacientes com Covid-19. O medicamento não tem comprovação científica para o tratamento da doença

Ministro Eduardo Pazuello e a cloroquina
Ministro Eduardo Pazuello e a cloroquina (Foto: Agência Brasil - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Exército brasileiro confirmou que o governo federal distribuiu, entre setembro de 2020 e janeiro deste ano, 420 mil doses de hidroxicloroquina para tratar pacientes com Covid-19. A informação foi publicada pela CNN Brasil. O remédio não tem comprovação científica para o tratamento de pessoas diagnosticadas com a doença. 

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler deu 15 dias para o Comando do Exército e o Ministério da Saúde prestarem esclarecimentos sobre a produção e a distribuição de cloroquina no País.

O Exército também terá de esclarecer se ainda existe estoque da hidroxicloroquina doada pelos Estados Unidos e a estimativa de produção de cloroquina 150 mg para o ano de 2021.

Usuários do Twitter criaram perfis fictícios para acessar o aplicativo do ministério da Saúde e constataram que a plataforma receitou a cloroquina contra a Covid-19. Pessoas que nem sabiam se estavam com a doença receberam como sugestão o uso do remédio, que também valeu até para recém-nascido.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email