Ministro do STJ bloqueia bens de Helder Barbalho, alvo da PF

De acordo com o ministro do STJ Francisco Falcão, o governador do Pará Helder Barbalho (MDB) direcionou ilegalmente a compra de respiradores para serem usados na rede hospitalar do estado

www.brasil247.com - Ministro Francisco Falcão e Helder Barbalho
Ministro Francisco Falcão e Helder Barbalho (Foto: Lucas Pricken/STF | Ag. Pará)


247 - O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Francisco Falcão decretou o bloqueio bens do governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), medida que também atinge empresários e Alberto Beltrame, secretário de Saúde do estado. Foram declarados indisponíveis imóveis, embarcações, aeronaves e de dinheiro, em depósito ou aplicação financeira, no valor de R$ 25,2 milhões.

De acordo com o ministro, Barbalho direcionou ilegalmente a compra de respiradores para serem usados na rede hospitalar do estado. Falcão afirmou que sobram indícios de prática de fraude a licitação e prevaricação contra o governador.

"Os diversos elementos de prova até então coligidos indicam o direcionamento da contratação por parte do governador e a posterior montagem de certame licitatório com a finalidade de regularizar a aquisição que já havia sido realizada e, inclusive, paga", escreveu o ministro.

O ministro disse que que foi realizada ainda "a indicação de favorecimento da empresa contratada com a concessão de benefício fiscal no tocante ao Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços -ICMS".

O governador disse estar "tranquilo e à disposição". Também afirmou que agiu "a tempo de evitar danos ao erário público, já que os recursos foram devolvidos aos cofres do estado".

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email