Para presidente do Ipespe, desempenho de Lula é "surpreendente" e os de Moro e Ciro decepcionantes

Para Antonio Lavareda, Moro “deve frustrar os apoiadores” e Ciro Gomes poderia ser “bastante competitivo", mas sem Lula na disputa

www.brasil247.com - Lula, Bolsonaro, Moro e Ciro
Lula, Bolsonaro, Moro e Ciro (Foto: Stuckert | ABr)


247 - O cientista político e presidente do Conselho Científico do Ipespe, Antonio Lavareda, comentou na CartaCapital a última pesquisa eleitoral do instituto, divulgada nesta quinta-feira (27), que mostra um cenário estável: o ex-presidente Lula (PT) na liderança isolada para retornar à Presidência com a possibilidade de disputa em segundo turno contra Jair Bolsonaro (PL). O levantamento mostra também que a terceira via continua não empolgando o eleitorado.

Segundo Lavareda, ainda é cedo para cravar que as eleições serão polarizadas entre dois ou três candidatos, mas reconhece ser "surpreendente” o desempenho de Lula.

>>> Bolsonaro, Doria e Moro têm a maior rejeição dentre todos os candidatos, mostra pesquisa Ipespe

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao comentar os números da terceira via, representada pelo ex-juiz Sergio Moro, declarado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nos processos contra Lula na Lava Jato, e por Ciro Gomes (PDT), Lavareda constatou frustração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre Moro, o cientista político disse que seu desempenho na campanha “deve frustrar os apoiadores”, “mas é preciso lembrar que a temática básica de Moro, na cabeça do público, é a de combate à corrupção, a essa coisa da Lava Jato”, advertiu o presidente do Ipespe. Para ele, somente a aliança de Moro com o União Brasil pode salvá-lo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre Ciro, Lavareda afirmou que ele poderia ser “bastante competitivo" em um cenário sem Lula. "Quando a candidatura de Lula foi reabilitada, houve um golpe profundo nas perspectivas de êxito do projeto de Ciro".

O pedetista tentou fazer um movimento para a centro-direita em busca de votos, mas Moro já havia conquistado parte desse eleitorado, avalia. "Então, o Ciro declina. Tinha 11% até outubro, vem Sergio Moro, que vai para 11% e Ciro vai para 9%. Em dezembro e início de janeiro, Ciro cai mais, vai para 7%. O lançamento recente [da pré-candidatura] lhe aportou um ponto e encontrou o declínio de Moro".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 Ele ainda lembra que Ciro começou a campanha na esquerda, migrou para a centro-direita e agora flerta com a juventude de esquerda, com o slogan do “candidato rebelde”. “Um analista mais atento vai ficar com torcicolo”, diz.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email