Polícia Federal não tem registro de qualquer inquérito sobre compra da Covaxin

De acordo com o deputado Luis Miranda, Jair Bolsonaro teria se comprometido a acionar a corporação para investigar a denúncia envolvendo a compra superfaturada da vacina indiana

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução | Reuters)


247 - A Polícia Federal não encontrou registro de nenhum inquérito aberto sobre o contrato suspeito envolvendo a compra da vacina indiana Covaxin.  De acordo com o deputado Luis Miranda (DEM-DF), as irregularidades foram levadas pessoalmente ao conhecimento de Jair Bolsonaro, que teria se comprometido a acionar a corporação para investigar a denúncia. A informação é da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Nesta quarta-feira (23), o ex-diretor da PF Rolando Alexandre de Souza já havia afirmado que não se lembrava se Bolsonaro havia pedido uma investigação sobre o superfaturamento nos contratos para a compra de 20 milhões de doses do imunizante.

A CPI da Covid também acionou a direção da PF pedindo informações se Bolsonaro teria repassado o alerta sobre suspeitas de corrupção no contrato de aquisição da vacina, fabricada pela Bharat Biotech e representada no Brasil pela farmacêutica Precisa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email