PT irá à PGR contra Bolsonaro por crime de racismo

O anúncio foi feito pelo deputado Paulo Teixeira. "O presidente Bolsonaro, ao dizer que 'negros são pesados por arrouba' , comete crime de racismo", disse ele

www.brasil247.com - Paulo Teixeira e Jair Bolsonaro
Paulo Teixeira e Jair Bolsonaro (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados | Alan Santos/PR)


247 - O PT irá questionar Jair Bolsonaro na Procuradoria Geral da República (PGR) pelo crime de racismo, após o presidente voltar a afirmar que 'negros são pesados em arrobas'

O anúncio foi feito pelo deputado Paulo Texeira. "O presidente Bolsonaro, ao dizer que 'negros são pesados por arrouba' , comete crime de racismo. O PT através da presidenta @gleisi e eu iremos representá-lo na PGR", afirmou Teixeira. 


A expressão racista de Bolsonaro foi usada durante conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada. "Conseguiram te levantar, pô? Tu pesa o quê, mais de sete arrobas, não é?", disse ele. Na conversa com apoiadores, Bolsonaro  ri e ironiza o fato de ter sido alvo da Justiça por ter usado a expressão de cunho discriminatório. "Sabia que já fui processada por isso? Chamei um cara de 8 arrobas", afirmou.

Antes de assumir a Presidência, Bolsonaro foi denunciado pela Procuradoria e condenado pela Justiça de primeira instância por ter afirmado que visitou uma comunidade quilombola e que "o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas" e que "nem para procriador ele serve mais". A acusação da PGR foi rejeitada pela Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) em 2018.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email