Sessão do STF que pode decidir liberdade de Lula começa 14h

A sessão da segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) ,que definirá se o ex-presidente Lula terá acesso ao habeas corpus, está marcada para ocorrer neste terça-feira (25), às 14 horas; após a repercussão negativa gerada após o STF sinalizar que adiaria a decisão somente para agosto, a Corte decidiu por julgar a questão hoje

www.brasil247.com - STF pode decidir liberdade de Lula
STF pode decidir liberdade de Lula (Foto: Ricardo Stuckert | STF)


247 - A sessão da segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) ,que definirá se o ex-presidente Lula terá acesso ao habeas corpus, está marcada para ocorrer  neste terça-feira (25), às 14 horas. Após  a repercussão negativa gerada após o STF sinalizar que adiaria a decisão somente para agosto, a Corte decidiu por julgar a questão hoje.

Fazem parte da segunda turma do STF o presidente da turma, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Gilmar Mende, Cármen Lúcia e Edson Fachin. 

Com esse quadro, há uma tendência de Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votarem a favor da liberdade de Lula, podendo ocorrer um empate. O voto decisivo será o de Celso de Mello. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entenda o caso 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No início desta segunda-feira (24), conforme noticiou o Brasiil 247,  a jornalista Monica Bergamo anunciava que o julgamento do HC de Lula havia sido adiado para agosto (leia mais no Brasil 247). 

No início da tarde, a defesa do ex-presidente Lula protocolou no STF pedido para que o habeas corpus fosse julgado. Entre os argumentos apresentados pelos advogados de Lula, Cristiano Zanin e Valeska Martins, está o fato de o julgamento do HC já foi iniciado, em dezembro do ano passado, o fato de Lula estar preso já há 443 dias e dele ser um cidadão de 73 anos. Entre outros, estes três aregumentos asseguram o julgamento do HC de Lula sobre outros itens da pauta de julgamentos (leia no Brasil 247). 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em carta ao amigo e ex-chanceler Celso Amorim, Lula perguntou por que o STF receia em julgar o seu caso. "A pergunta que faço todos os dias aqui onde estou é uma só: por que tanto medo da verdade? A resposta não interessa apenas a mim, mas a todos que esperam por Justiça", questiona.

Diante da repercussão negativa do suposto adiamento, a ministra Cármen Lúcia divulgou no início da noite uma nota para negar que tenha excluído ou incluído algum item na pauta de julgamentos desta terça-feira, 25. A ministra argumentou que ela ainda não é presidente da Turma e não poderia alterar a pauta. E confirmou que haebas corpus de pessoas presas têm preioridade nos ajulgamentos (leia mais no Brasil 247).

Nesta terça-feira, o País e o mundo saberão se o Brasil  voltará a ser uma democracia, que garante direitos aos seus cidadãos, como o de ter um julgamento por um juiz imparcial, ou se entrará de vez em uma ditadura, com presos políticos e um estado de exceção seletivo. A resposta será da da pelo Supremo. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email