STF afasta presidente do Ibama do cargo, investigado por esquema de exportação ilegal de madeira

O presidente do Ibama, Eduardo Bim, é um dos 10 agentes públicos afastados de seus cargos por ordem do STF. Investigação também resultou em busca e apreensão no endereço do ministro Ricardo Salles

www.brasil247.com - Eduardo Fortunato Bim
Eduardo Fortunato Bim (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News

247- O presidente do Ibama, Eduardo Bim, é um dos 10 agentes públicos afastados de seus cargos por ordem do Supremo Tribunal Federal na operação Akuanduba, revela reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

A reportagem também informa que Bim é alvo da invstigação que resultou em busca e apreensão em endereço do ministro Ricardo Salles e do ministério do Meio Ambiente.

A PF investiga a edição de um despacho pelo Ibama, em 2020, que teria permitido a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações.O despacho teria sido elaborado a pedido de empresas com cargas apreendidas no exterior e resultou na regularização, segundo a PF, de cerca de 8 mil cargas de madeira ilegal.

PUBLICIDADE

Saiba mais 

 A Polícia Federal faz na manhã desta quarta-feira (19) uma operação contra funcionários da administração pública acusados de facilitar a exportação ilegal de madeira. Um dos alvos da corporação é o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. 

Segundo a coluna Painel, a decisão também suspendeu um despacho do Ibama, de 2020, que, de acordo com a PF, permitia a exportação de produtos florestais sem a emissão de autorizações.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes do 247



PUBLICIDADE


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email